sicnot

Perfil

Mundo

Detetado sinal de uma galáxia emitido há 5 mil milhões de anos

Um telescópio australiano detetou um sinal emitido há 5.000 milhões de anos pela galáxia PKS B1740-517, situada perto da constelação de Ara, informaram hoje fontes científicas.

O conjunto de telescópios da agência australiana.

O conjunto de telescópios da agência australiana.

atnf.csiro.au/projects/askap/ska.html

A galáxia foi descoberta pelo telescópio SKA Pathfinder (ASKAP), da Organização para a Investigação Industrial e Científica da Commonwealth da Austrália (CSIRO), no Observatório Radioastronómico Murchison, a 790 quilómetros da cidade de Perth.

Segundo destacou a CSIRO em comunicado, a descoberta vai permitir conhecer um período da história do universo pouco estudado.

A equipa liderada por James Allison utilizou uma técnica especial para detetar uma mudança nas ondas de rádio procedentes do centro da galáxia B1740-517, segundo a CSIRO.

A emissão de rádio com 5.000 milhões de anos de antiguidade estava "gravada" em gás de hidrogénio e viajava em direção à Terra, que é pelo menos 500 anos mais jovem que essa galáxia.

Allison explicou que muitos observatórios não puderam captar este sinal, quase impercetível, "porque estava escondido no fundo do som de rádio", no entanto o silêncio radioeletrónico do observatório permitiu que fosse captado "claramente".

Segundo um comunicado da CSIRO, a descoberta da galáxia, em que participaram várias universidades australianas, será anunciada hoje no Reino Unido.

 

Lusa

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.