sicnot

Perfil

Mundo

Microsoft vai despedir 7800 trabalhadores

A Microsoft vai cortar 7800 postos de trabalho na sequência da reorganização da unidade de telemóveis, a segunda vaga de despedimentos no espaço de um ano, anunciou esta quarta-feira o grupo. 

Esta redução dos postos de trabalho é a segunda vaga de despedimentos no último ano, já que em julho de 2014 a tecnológica havia anunciado um corte de 18 mil postos de trabalho, a maioria resultante da integração da unidade da Nokia. (Arquivo)

Esta redução dos postos de trabalho é a segunda vaga de despedimentos no último ano, já que em julho de 2014 a tecnológica havia anunciado um corte de 18 mil postos de trabalho, a maioria resultante da integração da unidade da Nokia. (Arquivo)

© Pichi Chuang / Reuters

Em comunicado, a gigante tecnológica explicou que a redução do número de trabalhadores deverá ocorrer essencialmente na divisão de aparelhos móveis, adquirida em 2014 à fabricante finlandesa Nokia, tendo previsto gastar entre 750 e 850 milhões de dólares (680 a 771 milhões de euros) em compensações aos trabalhadores. 

Esta redução dos postos de trabalho é a segunda vaga de despedimentos no último ano, já que em julho de 2014 a tecnológica havia anunciado um corte de 18 mil postos de trabalho, a maioria resultante da integração da unidade da Nokia. 

Também agora a maioria dos cortes ocorrerão na divisão ligada aos telemóveis, que vai ser reestruturada para "concentrar e alinhar os recursos", num mercado muito agressivo. 

A Microsoft concluiu a compra de unidade móvel da Nokia em abril de 2014, no sentido de reforçar a sua posição nos dispositivos móveis. 

As metas da Microsoft para esta área de negócio têm falhado. Segundo um estudo da IDC, o Windows só deverá ter 3,2% do mercado de 'smarphone' este ano. 

A Microsoft tinha no final de março cerca de 118 mil trabalhadores em todo o mundo, de acordo com a sua página oficial, estando mais de metade nos Estados Unidos. 

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46