sicnot

Perfil

Mundo

ONU anuncia "pausa" no conflito no Iémen para assistência humanitária

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou hoje uma "pausa incondicional" no conflito em curso no Iémen para proceder à assistência humanitária, num dia em que morreram pelo menos 36 rebeldes xiitas. 

Hani Mohammed

A "pausa" vai acontecer entre as 23:59 de sexta-feira (21:59 em Lisboa) e o fim do Ramadão, previsto para 17 de julho.

Segundo as Nações Unidas, que reclamam uma trégua há várias semanas para poderem garantir assistência à população iemenita, a situação humanitária decorrente dos combates que opõem uma coligação militar de países árabes e grupos rebeldes xiitas atingiu um ponto crítico. 

"É imperativo e urgente que a ajuda humanitária chegue a todas as pessoas vulneráveis no Iémen, sem entraves", frisou Stéphane Dujarric, porta-voz da ONU. 

O presidente iemenita, Abd Rabbo Mansur Hadi, forçado ao exílio na Arábia Saudita, "transmitiu o seu acordo" à "pausa" nas ações da coligação liderada pela Arábia Saudita, indicou Stéphane Dujarric.

Por seu lado, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, recebeu "garantias" da parte das milícias xiitas e seus aliados de que "a pausa será totalmente respeitada". 

Hoje, segundo fontes militares e de segurança, pelo menos 36 rebeldes xiitas foram mortos em ataques levados a cabo pela coligação árabe, no Sul do Iémen.

"Esperamos que todas as partes implicadas no conflito respeitem a pausa humanitária", sublinhou Dujarric.

Esta não é a primeira trégua pedida pelas organizações internacionais. A anterior durou cinco dias, mas os combates foram retomados logo a seguir.

Desde 26 de março que uma coligação de países árabes combate os rebeldes xiitas, que, apoiados pelo Irão e por forças leais ao ex-presidente iemenita Ali Abdallah Saleh, tomaram controlo de uma significativa parte do Iémen, incluindo a capital, Sanaa.

Lusa

  • Continuam combates no Iémen entre mílicias xiitas e forças governamentais
    0:55

    Mundo

    Continuam os combates no Iémen entre as mílicias xiitas apoiadas pelo Irão e as forças governamentais. Há relatos de confrontos no sul, apesar do anúncio, ontem, do fim da campanha aérea da coligação liderada pela Arábia Saudita. Barack Obama advertiu o Irão face a um eventual fornecimento de armas aos rebeldes. Hoje, o Presidente do Irão continua a negar qualquer envolvimento e voltou a apelar a uma solução negociada para alcançar a paz na região.

  • Conflito no Iémen fez 944 mortos e 3.487 feridos num mês
    2:00

    Mundo

    A violência no Iémen matou 944 pessoas e fez 3.487 feridos desde meados de março. Os dados foram hoje divulgados pela Organização Mundial de Saúde. Também hoje a Organização Internacional para as Migrações anunciou que suspendeu temporariamente a evacuação de estrangeiros do país, por causa da falta de segurança.

  • Estados Unidos anunciam que meios da marinha vão ser enviados para costa do Iémen
    1:47

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram que meios da marinha americana vão ser enviados para a costa do Iémen para operações de segurança marítima. O anúncio do Pentágono surge no dia em que os bombardeamentos à capital do Iémen fizeram pelo menos 25 mortos e 400 feridos.Os dados são da agência noticiosa estatal iémenita. No país está em curso uma ofensiva contra os xiitas huthis que tomaram a capital Sanna e reivindicam o poder no país. Trata-se de uma coligação militar árabe, liderada pela Arábia Saudita que nas últimas semanas tem feito raides aéreos. Os desta segunda-feira foram dos mais intensos.

  • Lesados do BES manifestam-se hoje no Porto 

    Queda do BES

    Um grupo de lesados pelo Banco Espírito Santo (BES) concentra-se hoje no Porto para exigir "bom senso" ao Governo, ao Banco de Portugal (BdP) e aos responsáveis do Novo Banco, refere um comunicado remetido às redações.A manifestação está marcada para as 11:00, nas imediações do balcão do Novo Banco e do Banco de Portugal, na Avenida dos Aliados, e a nota dirigida à imprensa é assinada por quase centena e meia de pessoas."

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Morre congressista republicano norte-americano acusado de assédio sexual

    Mundo

    O congressista estatal do Kentucky e pastor evangélico Dan Johnson morreu na quarta-feira, num aparente suicídio, dois dias depois de ser acusado de assédio sexual por uma mulher, disseram as autoridades. O médico legista do condado, Dave Billings, afirmou que a morte de Johnson foi causada por um único tiro, numa ponte de Mount Washinton, perto de Louisville, onde estacionou o automóvel.

  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28