sicnot

Perfil

Mundo

Libertada jornalista chinesa detida há nove meses por ajudar repórter alemã

Uma jornalista chinesa que foi assistente numa reportagem sobre os protestos pró-democracia em Hong Kong para o jornal alemão Die Zeit foi libertada após nove meses de detenção, confirmou a própria à AFP. 

Arquivo

Arquivo

© Jason Lee / Reuters


No entanto, o advogado da jornalista foi detido esta manhã, refere a agência de notícias.

Zhang Miao foi detida em outubro em Pequim dias depois de voltar de Hong Kong, onde tinha estado em reportagem. 

A sua detenção expôs os riscos a que estão sujeitos os cidadãos chineses que trabalham para a imprensa estrangeira na China, que frequentemente são objeto do assédio por parte as autoridades. 

Zhang, que trabalhou para o semanário Die Zeit, sedeado em Hamburgo, disse, por telefone, à AFP que estava "bem" e num autocarro público a caminho de casa, horas depois de ter sido libertada. 

No entanto, o irmão de Zhang e um amigo da família disseram que as autoridades detiveram esta manhã o seu advogado, Zhou Shifeng.

"Três pessoas levaram o advogado Zhou, cobriram-lhe a cabeça", disse o amigo, que testemunhou a detenção num hotel da capital. 

Angela Koeckritz, antiga correspondente do Die Zeit em Pequim, escreveu em janeiro que tinha deixado a China por causa das pressões oficiais e repetidos interrogatórios que se seguiram à detenção de Zhang. 

A jornalista disse que as autoridades detiveram Zhang pouco depois de ela ter assistido a uma pequena sessão de leitura de poemas em Pequim, em solidariedade para com os ativistas pró-democracia em Hong Kong. 

Grupos de defesa dos direitos humanos disseram na altura que dezenas de pessoas foram detidas na China por expressarem apoio às manifestações.

A China controla rigidamente a sua imprensa nacional, e impede os seus cidadãos de trabalharem como jornalistas para publicações estrangeiras, embora seja permitido darem apoio, como assistentes, a trabalhos jornalísticos.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.