sicnot

Perfil

Mundo

"Contabilista de Auschwitz" condenado a 4 anos de prisão

Um tribunal alemão condenou a quatro anos de prisão Oskar Gröning, conhecido como o "contabilista de Auschwitz". Gröning, de 94 anos, foi considerado cúmplice na “Operação Hungria”, em que 300 mil judeus da Hungria foram mortos à chegada a Auschwitz.

reuters

O julgamento, que pode ser o último de um criminoso de guerra nazi, teve lugar na cidade de Lueneburg, no norte da Alemanha, onde foram ouvidos vários sobreviventes do campo de concentração.

Alguns observadores questionam se Gröning irá mesmo para a prisão, dada a sua idade avançada.

Ex-membro das SS, incorria numa pena de três a 15 anos de prisão pelo seu papel na “Operação Hungria”, mas o pedido de aplicação de uma pena próxima do mínimo da moldura penal foi justificado pelo procurador com a “contribuição subalterna” do acusado para as mortes e a sua admissão de culpa.

Gröning teve, na terça-feira, a última oportunidade para declarar em tribunal que estava "arrependido" e que "lamentava muito" o sucedido no campo de concentração, dizendo aos juízes que "ninguém devia ter participado em Auschwitz".

"Eu sei disso. Sinceramente arrependo-me de não ter tido essa perceção mais cedo e mais consistentemente. Estou muito arrependido", disse, com "voz vacilante".

Um grupo de sobreviventes do Holocausto declarou, em comunicado após o veredicto, que se congratulava "com a condenação de Oskar Gröning", classificando-a como "um passo tardio em direção à justiça".

Gröning testemunhou em abril passado, e de novo este mês, que estava tão horrorizado com os crimes que presenciou no campo após a sua chegada em 1942, que apelou três vezes aos seus superiores hierárquicos para ser transferido para a frente de combate, o que não aconteceu até ao outono de 1944.

Gröning reconheceu a "culpa moral", mas disse que só o tribunal poderia pronunciar-se sobre a sua culpa legal, sete décadas após o fim do Holocausto.

Com Lusa

  • Jovem que morreu numa estância de esqui em Espanha sofreu um aneurisma
    1:26
  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Três letras de Zeca Afonso

    Cultura

    No dia em que se assinalam 30 anos da morte de Zeca Afonso, Raquel Marinho, jornalista da SIC e divulgadora de poesia portuguesa contemporânea, escolhe três letras do cantor e autor para dizer, em forma de homenagem.

    Raquel Marinho

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira