sicnot

Perfil

Mundo

Presidente brasileira recebe homóloga argentina após cimeira da Mercosul

A Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, recebeu, esta sexta-feira, na sua residência oficial, a sua homóloga argentina, Cristina Kirchner, depois de ambas terem participado na cimeira da Mercosul, que encerrou em Brasília.

Eraldo Peres

A chefe de Estado argentina deslocou-se ao Palácio da Alvorada, a residência oficial dos Presidentes brasileiros, acompanhada pelo seu ministro da Economia, Axel Kicillof, pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Eduardo Zuain, bem como pelos secretários de Relações Económicas Internacionais e de Comunicação Pública, Carlos Bianco e Alfredo Scoccimarro, respetivamente.

Rousseff, por seu turno, tinha a seu lado o chefe da diplomacia brasileira, Mauro Vieira, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Externo, Armando Monteiro, e o titular da Secretaria da Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva.

Após o encontro, que durou cerca de duas horas e meia, sobre cujo teor qual não foram reveladas informações, a Presidente argentina seguiu para o aeroporto sem prestar declarações.

A cimeira da Mercosul reuniu na capital brasileira, os Presidentes do Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela, bem como os das Bolívia e Guiana.

Durante a cimeira, Rousseff quebrou a formalidade com um emotivo discurso e irrompeu em lágrimas ao anunciar que se tratava provavelmente da última reunião do bloco participada pela sua "companheira e amiga".

Cristina Kirchner, a quem a Constituição impede de concorrer às eleições de outubro próximo, recebeu das mãos de Rousseff a Ordem do Cruzeiro do Sul, a mais importante condecoração concedida pelo Governo brasileiro.

"Terá sempre aqui uma amiga pronta para partilhar sonhos e esperanças", disse Rousseff.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15