sicnot

Perfil

Mundo

EUA espiaram antigo chefe da diplomacia alemã Frank-Walter Steinmeier

A Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos espiou, durante anos, o atual chefe da diplomacia alemã, Frank-Walter Steinmeier, segundo informações hoje divulgadas em comunicado pelo Wikileaks.

© Leonhard Foeger / Reuters

Segundo o Wikileaks, a NSA espiou o ministério alemão dos Negócios Estrangeiros, antes de aquele organismo mudar a sua sede de Bona para Berlim, em 1999, e também teve sob mira o ministro Joschka Fischer, que ocupou o cargo de 1998 a 2005.

Entre os documentos divulgados pelo Wikileaks, está o que refere um encontro entre Frank-Walter Steinmeier e a antiga secretária de Estado norte-americana Condoleezza Rice, sobre os voos da CIA.

No documento, a NSA informa que o ministro alemão "parecia aliviado por não ter recebido da secretária de Estado uma resposta definitiva" sobre informações que denunciavam possíveis voos da CIA no espaço aéreo alemão com destino a prisões secretas na Europa de leste, usadas para interrogar suspeitos de terrorismo.

Antes de ser nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros, em 2005, Frank-Walter Steinmeier era chefe de gabinete do antigo chanceler alemão Gerhard Schroeder e também coordenava as agências alemãs de espionagem.

Para o diretor do Wikileaks, Julian Assange, os documentos hoje divulgados indicam que a "NSA foi usada para ajudar a CIA a sequestrar e torturar com impunidade" e que contou com a "complacência tácita de governos europeus".

As relevações feitas hoje juntam-se às publicadas a 08 de julho, segundo as quais a NSA espiou, durante décadas, os governos alemães de Angela Merkel, Schroeder e Helmut Kohl.

Lusa

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.