sicnot

Perfil

Mundo

Chuvas torrenciais causam pelo menos 19 mortos nas Filipinas

Pelo menos 19 pessoas morreram, oito estão desaparecidas e 124.416 ficaram desalojadas nas Filipinas por causa das inundações e deslizamentos de terra causados pelas chuvas torrenciais das últimas semanas, informaram hoje fontes oficiais.

© Stringer Philippines / Reuters

A zona mais afetada encontra-se no norte do país e inclui, entre outras áreas, as regiões central Luzón e Cagayan Valley, além de Manila, segundo o último relatório do Conselho de Gestão e Redução de Risco de Desastres das Filipinas.

Pelo menos 3.100 pessoas são atendidas e tratadas em 25 centros de evacuação e outras 32.676 recebem assistência fora dessas instalações.

Um total de 18 casas ficou destruído e 68 ficaram danificadas devido às inundações e deslizamentos de terra, segundo as autoridades.

A agência filipina calculou que o dano provisório dos arrozais e campos de milho ascende a 3,9 milhões de pesos (cerca de 79.000 euros) e das estradas e pontes a 1,5 milhões de pesos (30.000 euros).

A desflorestação, a proliferação de locais de minerais ilegais, a pobre rede de infraestruturas e as favelas aumentam o impacto das chuvas e dos entre 15 a 20 tufões que atingem as Filipinas durante a época de monção (designação dada aos ventos sazonais, normalmente associados à alternância entre a estação das chuvas e a estação seca, que ocorrem em grandes áreas das regiões costeiras tropicais e subtropicais).

A estação chuvosa nas Filipinas começa, normalmente, entre maio e junho e termina entre novembro e dezembro.

Lusa

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.