sicnot

Perfil

Mundo

Família de brasileiro morto pela polícia londrina há 10 anos continua a pedir justiça

Familiares do cidadão brasileiro morto por engano pela polícia de Londres pouco depois dos atentados terroristas de julho de 2005 marcaram o décimo aniversário da morte apelando a que os agentes envolvidos sejam levados a tribunal.

Prima de Jean Charles de Menezes fala aos jornalistas num memorial hoje realizado à porta da estação de metro onde Menezes foi morto.

Prima de Jean Charles de Menezes fala aos jornalistas num memorial hoje realizado à porta da estação de metro onde Menezes foi morto.

© Suzanne Plunkett / Reuters

Familiares de Jean Charles de Menezes exigiram justiça numa cerimónia à entrada da estação do metropolitano de Londres onde há dez anos o brasileiro foi confundido com um bombista suicida e morto a tiro pela polícia.

Menezes foi baleado sete vezes na cabeça e uma no ombro na estação de Stockwell, a 22 de julho de 2005, semanas depois dos ataques de 07 de julho, quando quatro bombistas suicidas causaram a morte de 52 pessoas fazendo-se explodir em vários pontos do metropolitano da capital do Reino Unido.

Com as forças de segurança de Londres em alerta máximo, a polícia seguiu-o até à estação com a falsa suspeita de que ele seria Hussain Osman, que vivia no mesmo bloco de apartamentos que o brasileiro e que no dia anterior tinha tentado replicar os atentados de 07 de julho, tendo falhado mas conseguindo fugir.

Os seus primos Vivian Figueiredo, Alessandro Pereira e Erinaldo da Silva, vestindo camisolas pretas com a frase "Justice for Jean" (Justiça para Jean), colocaram flores, acenderam velas e cumpriram um minuto de silêncio perante o mosaico que comemora a sua vida, à entrada da estação.

A família atravessou "dez longos anos de dor, luta e determinação para obter justiça, para levar a julgamento não só os que dispararam as balas, mas também os que deram a ordem", declarou um porta-voz da família perante as dezenas de apoiantes que se juntaram no local.

"Ele era uma pessoa bonita, um filho amável, um amigo amável, um primo amável", afirmou Vivian Figueiredo, de 32 anos, à agência France Presse (AFP).

"Vamos continuar a lutar, e espero que a nossa luta não beneficie apenas a nossa família, mas também outras famílias, outras comunidades e pessoas a que a mesma coisa aconteceu", acrescentou, declarando que a família continuará a lutar "para nos certificarmos que a mesma coisa não volte a acontecer".

Em 2006, procuradores do Estado decidiram que nenhum agente da polícia enfrentaria acusações, considerando não haver provas suficientes para que a perspetiva de uma eventual condenação fosse realista.

Alguns familiares protestaram a decisão, apelando ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos, que começou a ouvir o caso em junho deste ano.

A polícia de Londres foi no seu todo considerada culpada de incumprir normas de saúde e segurança, e multada.

Lusa

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.