sicnot

Perfil

Mundo

Poluição na China diminuiu, mas ainda aquém dos padrões de qualidade, diz Greenpeace

O nível de poluição nas cidades chinesas baixou no primeiro semestre de 2015, mas a qualidade do ar permanece muito aquém dos padrões globais e nacionais, segundo a avaliação difundida hoje pela organização ambientalista Greenpeace.

reuters

A densidade média de partículas PM2.5 - as mais suscetíveis de se infiltrarem nos pulmões - diminuiu 16% em 189 cidades e aumentou em apenas 18, refere a Greenpeace, citando os dados das agências especializadas do governo.

Em Pequim, entre janeiro e junho deste ano, a densidade das PM2.5 caiu 15,5% em relação a igual período de 2014, para 77,8 microgramas por metro cúbico - o triplo do limite fixado pela Organização Mundial de Saúde e acima dos 35 microgramas por metro cúbico estabelecidos pelos governos da China e outros países.

Hoje ao meio-dia (05:00 em Lisboa), a densidade daquelas partículas na atmosfera da capital chinesa atingia os 92 microgramas por metro cúbico e a qualidade geral era considerada "nociva".

O outro indicador da poluição que diminuiu em Pequim no primeiro semestre de 2015 diz respeito ao dióxido de sulfúreo (menos 42,6%) e à escala nacional, o nível de dióxido de carbono baixou 18%, salientou também a Greenpeace.

Nos últimos anos, a poluição tornou-se uma das principais fontes de descontentamento popular na China, a par da corrupção e das crescentes desigualdades sociais.

Em março de 2014, o novo primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, anunciou que o governo ia "declarar guerra à poluição" e alertou que "a natureza já lançou um alerta vermelho contra o modelo de ineficiente e cego desenvolvimento".

"Iremos declarar guerra à poluição e iremos combatê-la com a mesma determinação com que lutámos contra a pobreza", disse Li Keqiang.

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.