sicnot

Perfil

Mundo

Soyuz faz acoplagem com êxito à Estação Espacial Internacional

A nave tripulada russa Soyuz TMA-17M acoplou-se hoje com êxito à Estação Espacial Internacional (EEI), informou o Centro de Controlo de Voos Espaciais da Rússia.

YURI KOCHETKOV / Lusa

A acoplagem ocorreu às 5:46 de Moscovo (03:46 em Lisboa) em modo automático.

A bordo da Soyuz chegaram à EEI o russo Oleg Kononenko, o norte-americano Kjell Lindgren e o japonês Kimiya Yui.

O voo da nave russa até à EEI durou pouco menos de seis horas, já que foi utilizada a chamada trajetória rápida, que permite à Soyuz alcançar a estação depois de dar apenas quatro voltas à Terra.

As escotilhas vão ser abertas depois de se confirmado o hermetismo da acoplagem e de se igualar a pressão da Soyuz à da EEI, processo que habitualmente leva várias horas.

Os recém-chegados vão juntar-se aos atuais três tripulantes da estação: aos russos Mijail Kornienko e Gennadi Padalka, e ao astronauta da NASA, Scott Kelly.

Um porta-voz da agência espacial russa Roscomos citado pela agência oficial RIA Novosti indicou que durante o voo o painel solar esquerdo da nave não abriu, mas esclareceu que apenas um dos dois painéis garante a energia necessária para o funcionamento da Soyuz.

Situação idêntica ocorreu em setembro de 2014, com a Soyuz TMA-14M, que também acoplou sem problemas à EEI.

A chegada da Soyuz TMA-17M tem lugar comn dois meses de atraso devido a problemas registados recentemente no programa espacial russo, em particular, a perda, em abril último, da nave de carga Progress, que transportava suprimentos para a plataforma orbital.

A Estação Espacial Internacional, um projeto de mais de 100.000 milhões de dólares em que participam 16 nações, orbita a uma velocidade de mais de 27.000 quilómetros por hora, a uma distância de 400 quilómetros da Terra.

Lusa

  • Incêndios causaram 76 feridos no espaço de uma semana
    0:34

    País

    No espaço de uma semana, 76 pessoas ficaram feridas, incluindo seis com gravidade, durante os incêndios florestais. Na conferência de imprensa desta tarde, a Proteção Civil explicou que há cinco planos municipais de emergência ativos por causa das chamas.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.