sicnot

Perfil

Mundo

Reunião da NATO na terça-feira a pedido da Turquia

Os embaixadores dos 28 países-membros da NATO vão reunir-se na terça-feira, a pedido da Turquia, para debater a crescente tensão entre Ancara e os rebeldes curdos e o grupo terrorista Estado Islâmico, foi hoje anunciado.

© Stringer Turkey / Reuters

A Turquia "pediu esta reunião dada a gravidade da situação, após a situação dos odiosos atentados terroristas dos últimos dias e para informar os aliados das medidas que está a tomar", precisa o comunicado da Aliança Atlântica.

"Os aliados da NATO seguem de muito perto as evoluções e estão solidários com a Turquia", acrescenta.

Ancara invocou o artigo 4.º do Tratado da Aliança Atlântica, que permite a um dos membros pedir consultas quando considera "existir uma ameaça à integridade territorial, independência política ou segurança", indica o comunicado

Os rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) reivindicaram hoje um atentado que matou dois soldados turcos, em represália aos ataques aéreos turcos contra as bases da organização no norte do Iraque, pondo fim à trégua existente desde 2013.

Esta escalada da tensão entre o governo islamita-conservador turco e os rebeldes curdos surge quando Ancara passou a uma ofensiva contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

A força aérea turca bombardeou várias vezes posições do EI em território sírio, em resposta ao atentado suicida, atribuído aos 'jihadistas', em Suruç (sul), a 20 de julho, no qual morreram 32 pessoas e uma centena ficou ferida.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.