sicnot

Perfil

Mundo

Reunião da NATO na terça-feira a pedido da Turquia

Os embaixadores dos 28 países-membros da NATO vão reunir-se na terça-feira, a pedido da Turquia, para debater a crescente tensão entre Ancara e os rebeldes curdos e o grupo terrorista Estado Islâmico, foi hoje anunciado.

© Stringer Turkey / Reuters

A Turquia "pediu esta reunião dada a gravidade da situação, após a situação dos odiosos atentados terroristas dos últimos dias e para informar os aliados das medidas que está a tomar", precisa o comunicado da Aliança Atlântica.

"Os aliados da NATO seguem de muito perto as evoluções e estão solidários com a Turquia", acrescenta.

Ancara invocou o artigo 4.º do Tratado da Aliança Atlântica, que permite a um dos membros pedir consultas quando considera "existir uma ameaça à integridade territorial, independência política ou segurança", indica o comunicado

Os rebeldes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) reivindicaram hoje um atentado que matou dois soldados turcos, em represália aos ataques aéreos turcos contra as bases da organização no norte do Iraque, pondo fim à trégua existente desde 2013.

Esta escalada da tensão entre o governo islamita-conservador turco e os rebeldes curdos surge quando Ancara passou a uma ofensiva contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

A força aérea turca bombardeou várias vezes posições do EI em território sírio, em resposta ao atentado suicida, atribuído aos 'jihadistas', em Suruç (sul), a 20 de julho, no qual morreram 32 pessoas e uma centena ficou ferida.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15