sicnot

Perfil

Mundo

Deputado dos EUA cria projeto-lei 'CECIL' para travar caça a animais ameaçados

Legisladores norte-americanos apresentaram esta sexta-feira um projeto-lei para impedir caçadas controversas, como o caso do leão Cecil, icónico animal de um parque natural do Zimbabué morto por por um caçador americano.

O leão Cecil, do Parque Nacional de Hwange, no Zimbabué, foi morto por um dentista norte-americano que usou um arco e flecha para atingir o leão, alvejando-o a tiro no dia seguinte com o objetivo de o matar, o que provocou indignação mundial e gerou controvérsia em torno da caça e dos troféus animais.

O leão Cecil, do Parque Nacional de Hwange, no Zimbabué, foi morto por um dentista norte-americano que usou um arco e flecha para atingir o leão, alvejando-o a tiro no dia seguinte com o objetivo de o matar, o que provocou indignação mundial e gerou controvérsia em torno da caça e dos troféus animais.

© Eric Miller / Reuters

O projeto-lei de Robert Menendez, deputado do partido democrata do Senado de New Jersey, nos EUA, pretende restringir ainda mais a importação e exportação das espécies ameaçadas, incluindo todos os animais que não estão listados como "animais em perigo" ou "animais ameaçados" e que deveriam estar.

O Serviço de Vida Selvagem dos EUA (FWS), que mantém a lista dos EUA de espécies ameaçadas, propôs, em outubro do ano passado, adicionar-lhe o leão africano devido às perdas que se têm registado no seu habitat natural e também devido à relação cada vez mais conflituosa entre humanos e leões.

"A morte de Cecil foi uma tragédia evitável, que destaca a necessidade de estender a proteção da Lei de Espécies Ameaçadas. Quando temos preocupação suficiente sobre o futuro de uma espécie, deve-se propô-la para a lista", disse Menendez, explicando o motivo pelo qual pretende uma alteração na Lei das Espécies Ameaçadas de 1973.

Este projeto foi aprovado por outros democratas, contudo não se sabe se os republicanos, muitos dos quais se descrevem como caçadores e apoiantes dos direitos de posse de arma para os caçadores, apoiarão o projeto de lei.

O leão Cecil, do Parque Nacional de Hwange, no Zimbabué, foi morto por um dentista norte-americano que usou um arco e flecha para atingir o leão, alvejando-o a tiro no dia seguinte com o objetivo de o matar, o que provocou indignação mundial e gerou controvérsia em torno da caça e dos troféus animais.

Lusa

  • Encontrado corpo da criança que desapareceu na praia de São Torpes
    0:55

    País

    O corpo da criança que tinha desaparecido na praia São Torpes, concelho de Sines, foi encontrado esta manhã fora de água, nas rochas, a 1,5 quilómetros do sítio onde tinha desaparecido, no passado dia 21. O alerta foi dado por um popular à Polícia Marítima, cerca das 8h00.

  • Não há aumentos salariais no Estado para o ano
    1:18

    Economia

    O ministro das Finanças confirma a alteração dos escalões de IRS em 2018. É uma das medidas prioritárias para o próximo ano, a par do descongelamento das carreiras na função pública. Numa entrevista à Antena 1, Mário Centeno admite que não vai haver aumentos salariais no Estado no próximo ano

  • Obrigada a vir dos EUA, de 3 em 3 semanas, para ver o filho
    2:00
  • Marcelo diz que Europa não deve contar com benevolência dos aliados 
    1:19

    País

    O Presidente da República concorda com Angela Merkel, que este domingo defendeu que a Europa já não pode confiar a 100% nos países aliados. Numa conferência sobre o futuro da Europa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a União Europeia tem de assumir responsabilidades e protagonismo e não pode contar com a iniciativa e a benevolência dos aliados.

  • Merkel sugere que a Europa já não pode contar com aliados como os EUA
    1:45

    Mundo

    Depois das cimeiras do G7 e da NATO,e sem nunca mencionar Donald Trump, a chanceler alemã diz que é tempo de cada país tomar conta do próprio destino. As declarações de Angela Merkel foram feitas em Munique numa ação de campanha da CDU e evidenciam incómodo em relação às posições manifestadas pelos EUA.

  • Bombeiro alvejado durante assalto em Buenos Aires
    1:07

    Mundo

    A polícia argentina está a investigar o assalto e a agressão a tiro a um bombeiro em Buenos Aires. O homem de 30 anos foi atacado por três jovens, o momento foi captado pelas câmaras de videovigilância. As imagens mostram o exato momento em que o bombeiro foi atacado pelo grupo, perto de um quiosque de alimentação automático. De acordo com as informações disponíveis, a vítima terá sido alvejada seis vezes.