sicnot

Perfil

Mundo

Pequim vai encerrar aeroportos para desfile militar no início de setembro

Pequim vai encerrar os seus aeroportos durante a manhã de 03 de setembro, data para a qual está programado um desfile militar para comemorar o fim da II Guerra Mundial.

© Tyrone Siu / Reuters

O Aeroporto Internacional de Pequim e o aeroporto de Nanyuan vão ser encerrados ao público durante três horas, entre as 09:30 e as 12:30, de 03 de setembro, informou a Administração da Aviação Civil da China, citada hoje pela imprensa chinesa.

Entre 22 de agosto e 04 de setembro, vai ainda ser adotadas outras restrições no espaço aéreo da capital, que ficará encerrado para helicópteros, balões, parapentes e aviões sem motor.

Pequim já tinha aplicado restrições semelhantes quando acolheu um grande desfile militar, a 01 de outubro de 2009, por ocasião do 60.º aniversário da fundação da República Popular de China.

O dia 03 de setembro foi declarado feriado nacional pelas autoridades chinesas para celebrar o 70.º aniversário da vitória da China sobre o Japão durante a II Guerra Mundial (1939-45).

As autoridades chinesas já anunciaram que vão ordenar o encerramento temporário de fábricas em Pequim e arredores e impor reduções na atividade de outras para garantir que nesse dia os céus da capital estejam "livres" de poluição.

O Japão, que tinha invadido a China em 1937, assinou a sua rendição formal a 02 de setembro de 1945 e Pequim celebrou o seu triunfo no dia seguinte, declarado Dia da Vitória.

Cerca de 20 líderes mundiais assistirão a estas cerimónias, incluindo o Presidente russo, Vladimir Putin, embora só dois europeus tenham anunciado a sua presença: o Presidente checo, Milos Zeman, e o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, que causou, com esta decisão, receios entre os seus parceiros da União Europeia.

Lusa

  • Fogo em Setúbal dominado
    2:31

    País

    O incêndio que deflagrou na terça-feira em Setúbal está dominado. As chamas chegaram a ameaçar as casas, o que obrigou à retirada de cerca de 500 pessoas das habitações, como medida de precaução. Também o Hotel do Sado teve de ser evacuado.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.