sicnot

Perfil

Mundo

Antigo primeiro-ministro ucraniano cria comissão para salvar o país

O antigo primeiro-ministro ucraniano Mykola Azarov anunciou esta segunda-feira, em Moscovo, a criação de uma "comissão para salvar a Ucrânia" e derrubar as autoridades pró-ocidentais de Kiev.

O antigo primeiro-ministro, exilado na Rússia, pediu aos concidadãos que se manifestassem pacificamente para exigir a saída das autoridades ucranianas no poder e a realização de eleições presidenciais, legislativas e locais antecipadas. (Arquivo)

O antigo primeiro-ministro, exilado na Rússia, pediu aos concidadãos que se manifestassem pacificamente para exigir a saída das autoridades ucranianas no poder e a realização de eleições presidenciais, legislativas e locais antecipadas. (Arquivo)

© MAXIM ZMEYEV / Reuters

Chefe do governo sob a presidência de Viktor Ianukovitch, afastado do poder em fevereiro do ano passado após vários meses de protestos e confrontos na praça Maidan em Kiev, Mykola Azarov apresentou aos jornalistas os projetos da comissão a que preside, na presença dos antigos deputados ucranianos Volodymyr Oliinyk e Igor Markov.

"Perto de 80% dos ucranianos não confiam nas atuais autoridades. O que propomos é uma alternativa", garantiu Azarov, que afirmou ter o apoio de "responsáveis políticos de diferentes regiões da Ucrânia", recusando citar nomes.

O antigo primeiro-ministro, exilado na Rússia, pediu aos concidadãos que se manifestassem pacificamente para exigir a saída das autoridades ucranianas no poder e a realização de eleições presidenciais, legislativas e locais antecipadas.

"Infelizmente, a comissão foi criada no exterior da Ucrânia, mas tenho a certeza que regressaremos. Estamos prontos a assumir a responsabilidade da recuperação e desenvolvimento do país", acrescentou.

A comissão apresentou o antigo deputado Volodymyr Oliinyk como candidato à presidência, caso se realizem eleições, apelando para a renovação dos laços de amizade entre Kiev e Moscovo.

"Há um ano, a Ucrânia cometeu um erro. Devemos corrigi-lo e para isso, a Ucrânia precisa de paz", declarou Oliinyk, prometendo "pôr fim ao caos na Ucrânia num ano", através de negociações de paz diretas com os separatistas pró-russos de leste e da realização de um referendo sobre a transformação do país numa federação.

Azarov é alvo de um mandado de detenção na Ucrânia e é acusado, com o ex-presidente Viktor Ianukovitch, de ter desviado mais de 7,6 milhões de euros. Azarov está também na lista de pessoas sancionadas pela União Europeia.

A comissão garantiu que não colabora com Ianukovitch e pediu que este seja julgado pelas suas ações, ao lado do atual chefe de Estado ucraniano, Petro Poroshenko.

O Kremlin desmentiu estar implicado, de qualquer forma, na criação desta comissão.

Lusa

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • "Precisamos de uma melhor zona Euro"
    0:30