sicnot

Perfil

Mundo

UE congratula-se com Plano para a Energia Limpa dos EUA

A União Europeia congratulou-se hoje com o plano dos Estados Unidos para lutar contra as alterações climatéricas apresentado pelo Presidente norte-americano, Barack Obama, considerando-o como um "passo positivo".

© China Stringer Network / Reut

O Plano para a Energia Limpa, que impõe que as centrais termoelétricas reduzam 32% das emissões de dióxido de carbono até 2030, é um "passo positivo nos esforços dos Estados Unidos para reduzir as emissões", escreveu no Twitter o Comissário Europeu para o Clima, Miguel Arias Canete.

O plano "dinamiza a COP21", conferência de Paris, a realizar entre 30 e 11 de dezembro, que vai tentar chegar a um acordo para limitar o aquecimento global, disse o comissário espanhol.

Para Miguel Arias Canete, o plano mostra a "vontade dos Estados Unidos para apoiar os compromissos internacionais sobre alterações climatéricas através de ações a nível nacional",

"Se for totalmente implementado, o plano pode promover energia limpa e acelerar a transformação dos Estados Unidos" para uma economia com baixa emissão de carbono, acrescentou.

O Presidente norte-americano, Barack Obama, apresentou hoje na Casa Branca o Plano Energia Limpa.

No discurso, Barack Obama considerou que as alterações climatéricas são uma ameaça para as futuras gerações e para a segurança dos Estados Unidos.

"Só temos um planeta. Não há um plano B", disse Obama, admitindo que nenhum país sozinho consegue fazer o suficiente para combater o aquecimento global.

Lusa

  • Brinquedos tecnológicos para oferecer no Natal
    5:33
  • Aniversário de Marcelo passado nas comemorações dos 700 anos da Marinha
    1:45

    País

    O Presidente da República defende que é preciso continuar a investir na Armada, nas pessoas, nas capacidades e no apoio de retaguarda. No dia em que fez 69 anos, Marcelo Rebelo de Sousa esteve nas comemorações dos 700 da Marinha, onde sublinhou os sete séculos de conquistas e de combates navais.

  • Costa anuncia reunião sobre neutralidade carbónica em fevereiro
    2:03

    País

    O Presidente francês defende que é preciso ir mais longe e mais rápido na luta contra as alteração climáticas, numa resposta à decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris. Em fevereiro, será a vez de Portugal organizar uma reunião sobre energia e transportes.