sicnot

Perfil

Mundo

Um morto e milhares de retirados na Califórnia devido a violentos incêndios

Mais de nove mil bombeiros continuavam a combater, este domingo, violentos incêndios que lavram no estado da Califórnia, nos EUA, que fizeram pelo menos um morto e obrigaram à retirada de 12 mil pessoas no fim de semana.

A maioria dos incêndios teve origem em relâmpagos, enquanto as causas dos restantes permanecem desconhecidas.

A maioria dos incêndios teve origem em relâmpagos, enquanto as causas dos restantes permanecem desconhecidas.

Pelo menos 21 fogos estavam ativos na tarde de domingo em todo o estado, incluindo um no norte da Califórnia, cuja dimensão duplicou durante a noite de sábado, consumiu uma área superior a 190 quilómetros quadrados, destruiu 24 casas e provocou a morte de um bombeiro, informa o Los Angeles Times.

O incêndio, que deflagrou perto da localidade de Clear Lake, que estava contido em apenas 5% na tarde de domingo, levou as autoridades a ordenarem a evacuação das casas na zona, com a retirada a envolver 12 mil pessoas, de acordo com o diário.

O governador da Califórnia, o democrata Jerry Brown, declarou, esta sexta-feira, o estado de emergência devido aos incêndios, assinalando, em comunicado, que "a grave seca e as temperaturas extremas transformaram boa parte do estado num barril de pólvora".

Segundo dados facultados pelas autoridades estaduais, arderam desde o início desta vaga de incêndios -- que começou na passada quinta-feira -- aproximadamente 49 mil hectares.

A maioria dos incêndios teve origem em relâmpagos, enquanto as causas dos restantes permanecem desconhecidas. As autoridades indicaram, no entanto, que não suspeitam que os incêndios tenham origem criminosa.

Lusa

  • Viver em Évora
    5:11
  • Projeto piloto no Porto com o objetivo de detetar Ambliopia em crianças
    1:16

    País

    São resultados que dizem respeito apenas ao Grande Porto, mas que podem dar uma ajuda para traçar o panorama nacional: 13% das crianças que participaram num rastreio à saúde visual tiveram de ser encaminhadas para consultadas da especialidade. O projeto piloto foi implementado em quatro concelhos do norte do país, mas pode ser alargado.