sicnot

Perfil

Mundo

Principais companhias aéreas norte-americanas proíbem transporte de troféus de caça

As principais companhias aéreas dos Estados Unidos da América (EUA), a United Airlines, a American Airlines e a Delta, decidiram proibir o transporte de grandes troféus de caça, após a morte polémica do leão Cecil por um caçador norte-americano.

A morte do leão Cecil às mãos do americano Walter Palmer motivou a medida levada a cabo pelas três companhias aéreas. (Arquivo)

A morte do leão Cecil às mãos do americano Walter Palmer motivou a medida levada a cabo pelas três companhias aéreas. (Arquivo)

© Siphiwe Sibeko / Reuters

A primeira companhia a adotar esta medida foi a Delta, que efetua voos entre os EUA e a África do Sul, tendo anunciado a entrada em vigor da proibição de transporte de troféus de caça de animais de grande porte na segunda-feira, através de um comunicado.

"Com efeito imediato, a Delta proíbe, em todo o mundo, o transporte como carga de troféus de leões, leopardos, elefantes, rinocerontes e búfalos", explicou a companhia norte-americana.

A Delta destacou que até ao momento da decisão aceitava apenas transportar troféus que cumprissem, de forma rigorosa, todos os regulamentos governamentais relativos às espécies protegidas e adiantou que irá rever o transporte relacionado com os troféus de caça em relação a outros animais além dos mencionados.

Horas depois da medida ter sido anunciada pela Delta, as outras duas companhias aéreas, a United Airlines e a American Airlines, também anunciaram a proibição do transporte de caça dos cinco animais mencionados.

A morte do leão Cecil às mãos do americano Walter Palmer, que motivou a medida levada a cabo pelas três companhias aéreas, está a ser investigada pelo Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos, para descobrir se a morte do leão estará relacionada com a rede de tráfico ilegal de animais.

De acordo com o Instituto para a Conservação do Zimbábue (ZCTF, em Inglês), Palmer participou numa caçada à noite no Parque Nacional Hwange, no oeste do país, no dia 6 de julho.

O leão Cecil, de 13 anos, terá sido atraído por uma presa amarrada a um veículo, como isca, para retirá-lo do Parque, para que não fosse, tecnicamente, caça ilegal.

"Palmer disparou contra Cecil um tiro com arco e flecha, mas o disparo não o matou. Seguiu-o até o encontrar novamente, 40 horas depois, e disparou com uma arma", disse o presidente da ZCTF, Johnny Rodrigues.

Lusa

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • Abate de animais nos canis proibido a partir de setembro
    1:35

    País

    O abate de animais nos canis passa a ser proibido a partir de setembro. Só em 2017, foram mortos cerca de 12 mil cães e gatos, uma média de um abate por hora. O Governo lançou um programa de incentivos financeiros de um milhão de euros, que ainda está a decorrer.

  • Cabazes solidários oferecidos pelo Governo encontrados no lixo
    0:57
  • Colheita da cereja já arrancou no Fundão
    1:54

    País

    A colheita das primeiras cerejas da época já começou no Fundão. A campanha atrasou um mês em relação a anos anteriores, por causa do inverno que se prolongou, mas os produtores garantem que o fruto é de qualidade.