sicnot

Perfil

Mundo

"Liberdade já" para ativistas, volta a ouvir-se em Luanda entre intervenção policial

Familiares dos 15 ativistas angolanos detidos desde junho, por alegadamente estarem a preparar um golpe de Estado, saíram hoje à rua em Luanda gritando "liberdade já" para aqueles jovens, numa manifestação na qual houve carga policial.

© Stringer . / Reuters

"Tivemos uns problemas com a polícia, umas agressões, e a marcha teve de acabar aqui no cemitério de Santana. Mas conseguimos fazer o que queríamos, que era alertar para a injustiça do que estão a fazer aos nossos filhos", disse à Lusa Leonor Matias, mãe de Afonso "Mbanza-Hamza", um dos jovens detidos.

A carga policial, registada próximo do Largo da Independência, depois das 14:30 (mesma hora em Lisboa), levou à dispersão dos manifestantes, algumas dezenas, incluindo mulheres, que gritavam também "libertem os nossos filhos", havendo relatos de detenções e feridos, nomeadamente algumas mães dos ativistas.

A "marcha das mamãs", como também era conhecida, estava anunciada hoje, mas não foi autorizada pelo governo provincial, alegando este que não poderia ter lugar "com o itinerário proposto", pela proximidade (100 metros, em termos legais) a edifícios de vários órgãos de soberania.

"Acreditamos numa solução para nos nossos filhos para breve. Já toda a gente sabe o que se passa", disse ainda Leonor, que se reuniu na sexta-feira com o vice-procurador-geral da República, o general Hélder Pita Grós.

"Deveremos ter o processo concluso dentro de poucos dias, isso sim posso garantir porque é o nosso trabalho. Agora a fase seguinte, só depois disso é que saberemos. Se o processo vai para o tribunal, se há matéria de acusação", disse, na ocasião, aos jornalistas, o vice-procurador-geral da República de Angola.

O protesto de hoje - a terceira iniciativa pública a pedir a libertação dos jovens em cerca de dez dias - deveria partir do Largo da Independência pelas 13:00, percorrendo depois várias artérias de Luanda até à entrega de uma petição na Procuradoria-Geral da República.

Conforme a Lusa constatou no local, naquele largo encontrava-se a decorrer uma atividade afeta ao Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), iniciativa que os promotores da marcha de protesto denunciaram ser uma contramanifestação, para tentar impedir esta ação.

Dentro e nos arredores do Largo da Independência verificava-se igualmente a presença de forte contingente policial, com dezenas de operacionais.

Associados ao designado Movimento Revolucionário, os jovens detidos desde 20 de junho alegam que se encontravam regularmente para discutir intervenção política e cívica, inclusive com ações de formação, como a que decorria na altura de detenção e que envolveria também a leitura e análise de um livro sobre estas matérias.

O Governo angolano, acompanhado pela procuradoria, nega que estes elementos sejam presos políticos, como tem sido denunciado por organizações internacionais.

Este caso tem sido alvo de interesse nacional e internacional, com vários pedidos públicos de organizações, artistas, escritores e ativistas para a sua libertação.

Os detidos em prisão preventiva são Henrique Luaty Beirão, Manuel "Nito Alves", Afonso Matias "Mbanza-Hamza", José Gomes Hata, Hitler Jessy Chivonde, Inocêncio António de Brito, Sedrick Domingos de Carvalho, Albano Evaristo Bingocabingo, Fernando António Tomás "Nicola", Nélson Dibango Mendes dos Santos, Arante Kivuvu Lopes, Nuno Álvaro Dala, Benedito Jeremias, Domingos José da Cruz e Osvaldo Caholo (tenente das Forças Armadas Angolanas).

Lusa

  • Presidente do Sporting vai processar um dos sócios do clube
    0:42

    Desporto

    Bruno de Carvalho anunciou esta sexta-feira que vai processar o sócio José Pedro Rodrigues. O presidente do Sporting acusa o sócio de ter posto a circular um documento falso que revelava que Bruno de Carvalho estaria a ser investigado por causa das transferências de Bruno César e Alan Ruiz. O caso fez Bruno de Carvalho tomar uma decisão sobre o futuro.

  • Bruno de Carvalho contra almoço de Dias da Cunha e Menezes Rodrigues com Luís Filipe Vieira
    1:17

    Desporto

    Bruno de Carvalho insurgiu-se, esta sexta-feira, contra Dias da Cunha e Menezes Rodrigues por terem estado, em Setúbal, num almoço com Luís Filipe Vieira. Durante o discurso na Assembleia-geral do clube, o presidente dos leões considerou lamentável a atitude dos dois sportinguistas numa altura em que o Benfica é acusado pelos rivais de poder estar envolvido num alegado esquema de corrupção e tráfico de influências.

  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Atirador canadiano mata combatente do Daesh a 3,5km de distância

    Mundo

    Um atirador das Forças Especiais do Canadá matou um combatente do Daesh com um tiro disparado a 3,5 quilómetros de distância, no passado mês de maio, no Iraque. O Comando de Operações Especiais canadiano garantiu à BBC que a distância do disparo, realizado com sucesso, é já considerada um recorde na história militar.

  • Revelada a verdadeira identidade de Banksy?

    Cultura

    O músico e produtor Goldie pode ter revelado a identidade do artista mais conhecido por Banksy, durante uma entrevista ao podcast do rapper Scroobius Pip. Goldie referiu Robert Del Naja de forma acidental e os fãs acreditam que a identidade do artista britânico foi finalmente desvendada.

  • "Mãe, por favor, para de dizer asneiras. Não quero que leves um tiro"
    0:51

    Mundo

    O Departamento de Investigação da Polícia do Minnesota divulgou esta sexta-feira um vídeo com imagens de um incidente que levou à morte de um afro-americano pela polícia, nos Estados Unidos da América. Em julho de 2016 um polícia atingiu mortalmente Philando Castile, de 32 anos, durante uma operação de controlo rodoviário. O homem procurava os documentos de identificação quando o polícia disparou quatro tiros. Nas imagens é possível ver o desespero da filha da companheira de Philiando Castile, minutos depois de ter visto o padrasto a morrer. O agente responsável pela morte de Castile foi absolvido pelo Tribunal na semana passada.

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43

    Mundo

    Um vídeo de um acidente numa autoestrada em Santa Clarita, na Califórnia (EUA), está a tornar-se viral nas redes sociais. Nas imagens é possível ver um motociclista a dar um pontapé num carro que seguia à sua frente. Como forma de "retribuição", o carro vira na direção da mota mas bate no separador e depois numa carrinha que acabou por capotar. Segundo a imprensa norte-americana o condutor da carrinha foi levado para o hospital com ferimentos ligeiros. Já a pessoa que conduzia a mota seguiu o seu caminho. 

  • Johnny Depp pede desculpa por piada a sugerir assassínio de Trump

    Mundo

    Johnny Depp pediu esta sexta-feira desculpa por ter feito uma piada sobre assassinar Donald Trump, durante a sua atuação no Festival de Glastonbury, em Inglaterra. "Quando foi a última vez que um ator assassinou um Presidente?", foi assim que o ator e músico falou para a multidão que o estava a ver. Contudo, as declarações não foram bem recebidas pela Casa Branca, que emitiu um comunicado a condenar as palavras.