sicnot

Perfil

Mundo

Pilotos da Lufthansa opõem-se à regra de "duas pessoas na cabine"

Os pilotos da companhia aérea alemã Lufthansa opõem-se à obrigatoriedade de ter sempre dois membros da tripulação na cabine, segundo um comunicado divulgado hoje pelo sindicato de pilotos Cockpit, citado pela agência France Presse (AFP).

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Louis Nastro / Reuters

Numa resposta detalhada às recomendações da Agência Europeia de Segurança Aérea (AESA), o sindicato critica ainda a proposta de submeter os pilotos, sem aviso prévio, a análises ao sangue por drogas e álcool.

Incumbida pela Comissão Europeia, a AESA publicou em julho um relatório com recomendações de segurança com o objetivo de evitar as circunstâncias que permitiram ao copiloto da companhia Germanwings Andreas Lubitz despenhar propositadamente contra os Alpes franceses o avião que pilotava em março, matando 150 pessoas.

O sindicato, que representa os pilotos de todas as companhias do grupo Lufthansa (Lufthansa, Germanwings, Swiss Airlines e Austrian Airlines), concorda com as sugestões que preveem melhores avaliações psicológicas aos pilotos.

"A criação de uma rede de apoio aos pilotos com dificuldades é uma evolução positiva", refere o comunicado do sindicato, que cita o seu porta-voz, Markus Wahl.

"Só desta forma podemos garantir que os afetados [por problemas psicológicos] deixem de esconder os seus problemas, e procurem ajuda", acrescenta o documento.

Por outro lado, a organização discorda da obrigatoriedade da presença a todo o momento de um segundo membro da tripulação na cabine, preconizada pela AESA e aplicada voluntariamente por várias companhias europeias após o acidente de março.

O sindicato denuncia também as análises ao sangue sem aviso prévio desejadas pela AESA uma vez que estas "colocam 'a priori' suspeitas nos pilotos", e por nenhum estudo ter estabelecido relação entre o uso de drogas ou álcool e o acidente de março.

Estas recomendações, que Bruxelas poderá tornar obrigatórias, "não remediam de nenhum modo o problema, e poderão mesmo revelar-se contraproducentes", defende o porta-voz, avisando que a regra de uma segunda pessoa na cabine comporta "riscos" que não justificam os ganhos de segurança.

Segundo o sindicato, a regra não impede um ato premeditado como o de Andreas Lubitz, pois um cenário em que a segunda pessoa é cúmplice não pode ser excluído.

A presença de um segundo membro da tripulação aumenta ainda a previsibilidade da abertura da porta blindada da cabine durante o voo, e as companhias aéreas não têm cumprido a promessa de aumentar o número de tripulação de bordo necessária para pôr em prática a medida, defende a organização.

O sindicato insiste ainda na preservação do segredo médico, face à proposta da AESA da criação de uma base de dados europeia de partilha das informações médicas dos pilotos.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.