sicnot

Perfil

Mundo

Rei da Roménia exclui o neto Nicolas da sucessão ao trono

O rei Miguel da Roménia excluiu o seu neto Nicolas da linha de sucessão da coroa ao retirar-lhe o título de 'príncipe', que o próprio lhe tinha concedido, anunciou hoje a casa real romena.

© Bogdan Cristel / Reuters

De acordo com a divulgação de um comunicado da família real, "no dia 1 de agosto de 2015, sua majestade, o Rei Miguel, autenticou um documento que retira ao neto Nicolas, filho da princesa Elena, o título de 'príncipe da roménia' e o tratamento de 'alteza real'", prosseguindo que "o rei tomou esta decisão pensando numa Roménia futura, depois da morte da sua filha Margarita, a herdeira da coroa".

O antigo soberano afirmou que "a família real e a sociedade romena desses tempos necessitarão de um dirigente modesto, bem equilibrado, com princípios morais e com a constante preocupação nos demais".

Contudo, o comunicado não menciona quais as razões específicas por ter ser sido retirado o título a Nicolas.

Nicolas Medforth-Mills, de 30 anos, recebeu o título de príncipe no dia 01 de abril de 2010, sendo o terceiro na linha de sucessão da dinastia.

Desde o final da II Guerra Mundial (1939-1945) que a Roménia é uma República e é uma democracia após da queda do regime comunista, em 1989.

Lusa

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.