sicnot

Perfil

Mundo

Astrónomos descobrem planeta a 100 anos de luz de distância

Astrónomos descobriram um planeta a 100 anos de luz de distância, parecido com Júpiter há biliões de anos e que pode dar novas informações sobre como os planetas se formam, refere um estudo publicado hoje na revista Science.

© NASA NASA / Reuters

Conhecido como 51 Eridani b, o planeta é o primeiro a ser detetado por um novo instrumento, denominado Gemini Planet Imager, segundo a revista.

É "o primeiro planeta jovem, que provavelmente se parece com Júpiter há bilhões de anos, tornando-se no nosso principal quebra-cabeças da formação de planetas", disse Travis Barman, professor associado de Ciências Planetárias da Universidade do Arizona.

A estrela que orbita, a 51 Eridani, tem apenas 20 milhões de anos, bastante jovem, considerando que o Sol tem cerca de 4,5 bilhões de anos.

Envolto em metano, o planeta tem cerca de duas vezes a massa de Júpiter -- o maior planeta do nosso sistema solar -- e tem o metano mais forte alguma vez detetado na atmosfera de um planeta alienígena.

A temperatura do planeta deverá rondas os 427 graus Celsius, o suficiente para derreter chumbo.

"Este é exatamente o tipo de planeta que queríamos descobrir quando projetamos o Gemini Planet Imager", disse James Graham, da Universidade da Califórnia, professor de astronomia que projetou aquele instrumento.

"Queríamos encontrar planetas enquanto são jovens, para que possamos descobrir o processo de formação", disse.

O Gemini Planet Imager foi projetado para descobrir novos planetas a orbitar estrelas.

O instrumento é aproximadamente do tamanho de um carro pequeno e está montado num espaço de cerca de oito metros no Chile, tendo começado a trabalhar em dezembro de 2014.

Uma missão separada da NASA, conhecida como o telescópio espacial Kepler, procura planetas através do estudo de estrelas. O principal objetivo do Kepler é encontrar planetas como a Terra e possam ser capazes de sustentar vida.

Lusa

  • Plutão vai continuar a ser o planeta anão
    2:08

    Mundo

    Chamam-lhe o planeta anão, mas afinal não é tão pequeno quanto parece. Plutão tem mais 80 quilómetros do que previam os cientistas e um diâmetro cerca de 2.370 quilómetros. Vales, falésias e montanhas com três mil 500 metros cobertas de gelo. Apesar das descobertas da sonda New Horizons, Plutão vai continuar a ser um planeta anão. Isto porque, segundo os cientistas, são necessários três critérios para ser considerado um Planeta.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16

    Economia

    A Nokia chegou a ser uma das maiores empresas do mundo devido ao fabrico de telemóveis. Caiu, mas acaba de fazer renascer um dos sucessos de vendas do início do milénio. O anúncio foi feito este domingo, em Barcelona.