sicnot

Perfil

Mundo

Casa Real britânica pede a fotógrafos que respeitem privacidade do príncipe George

A Casa Real britânica emitiu esta sexta-feira um apelo para que os meios de comunicação social não utilizem a imagem do príncipe George fora dos eventos oficiais.

A família real diz que os 'paparazzi' utilizam técnicas cada vez mais perigosas para fotografar o menor e acusam meios de comunicação americanos, alemães e franceses de terem publicado imagens de George em circunstâncias "inaceitáveis". (Arquivo)

A família real diz que os 'paparazzi' utilizam técnicas cada vez mais perigosas para fotografar o menor e acusam meios de comunicação americanos, alemães e franceses de terem publicado imagens de George em circunstâncias "inaceitáveis". (Arquivo)

© POOL New / Reuters

A família real diz que os 'paparazzi' utilizam técnicas cada vez mais perigosas para fotografar o menor e acusam meios de comunicação americanos, alemães e franceses de terem publicado imagens de George em circunstâncias "inaceitáveis".

O Palácio de Kensigton diz que já foram apanhados fotógrafos escondidos na vegetação, dentro da propriedade real, ou que são usadas lentes de longo alcance para fotografar momentos privados entre Kate e o filho.

A ama do príncipe tem também sido seguida, quando sai com George de casa.

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18