sicnot

Perfil

Mundo

Dissidentes cubanos criticam EUA e recusam encontro com Kerry em Havana

Alguns dissidentes cubanos, como a líder da organização Damas de Blanco, Berta Soler, e o opositor Antonio Gonzales-Rodiles, recusaram o encontro com o secretário de Estado norte-americano, na sexta-feira em Havana.

© Alexandre Meneghini / Reuters

Os dois dissidentes foram convidados a participar na receção da residência do encarregado de Negócios da embaixada dos Estados Unidos na capital cubana, Jeffrey DeLaurentis, onde também foi içada uma bandeira norte-americana, à semelhança do que aconteceu no edifício da embaixada.

Na sexta-feira, o secretário de Estado presidiu à cerimónia oficial de reabertura da embaixada norte-americana na capital cubana para a qual não foram convidados nem opositores ao regime cubano nem representantes da sociedade civil.

Berta Soles, líder das Damas de Blanco, disse à agência Efe que não participou na receção na residência do encarregado de Negócios porque lhe "pareceu mal" que a administração dos Estados Unidos só tenha convidado os dissidentes para um "ato de menor importância" e os tenha afastado da cerimónia oficial de abertura da embaixada.

Para Soles, os Estados Unidos, ao não convidarem os dissidentes para a cerimónia na embaixada, cederam às "exigências" das autoridades de Cuba.

Segundo Berta Soles, o convite que recebeu era apenas para um ato em que "simplesmente se ia içar uma bandeira" e ninguém deu garantias de que tivessem oportunidade para a realização de uma reunião de trabalho com Kerry onde pudessem "falar abertamente de direitos humanos na ilha".

A líder das Damas de Blanco, grupo formado pelas mulheres e filhas dos presos políticos que constituíram o grupo de 75 homens presos na "Primavera Negra" de 2003 em Cuba, disse mesmo que é mais importante ter ficado a trabalhar na preparação das denúncias sobre a "repressão" cometidas contra ativistas e "damas de blanco" que organizam marchas pacíficas todos os domingos em Havana.

Soler acrescentou que na sexta-feira quatro simpatizantes das Damas de Blanco foram presos na capital cubana na altura em que empunhavam um cartaz que pedia liberdade para todos os presos políticos.

O opositor Antonio González-Rodiles, diretor do Sats, fórum de crítica ao Estado cubano, também declinou o convite dos Estados Unidos porque lhe pareceu "lamentável" que nenhum dissidente tivesse sido convidado para a cerimónia oficial de reabertura da representação diplomática dos Estados Unidos.

"Não é compreensível que a administração do presidente Barack Obama sofra também da repressão do regímen cubano", afirmou Rodiles em declarações à agência EFE.

Na opinião do dissidente, os Estados Unidos estão a "ceder demasiado" no processo de restabelecimento de relações com Cuba, "sem exigir nada em troca".

Na última quarta-feira, o Departamento de Estado confirmou que nenhum representante da sociedade civil seria convidado para a cerimónia oficial da reabertura da embaixada em Havana, apesar dos convites a vários dissidentes para o ato privado na residência do encarregado de Negócios.

John Kerry, no discurso oficial em Havana, na sexta-feira, abordou a questão dos direitos humanos em Cuba e o ministro cubano dos Negócios Estrangeiros, Bruno Rodriguez, disse que Cuba pretende discutir "todos os assuntos" com os Estados Unidos, incluindo direitos humanos.

"Nós temos conceitos diferentes sobre soberania, democracia e direitos humanos", afirmou Rodriguez na conferência de imprensa que decorreu na sexta-feira, em Havana.

O próximo contacto diplomático entre os dois países está agendado para os dias 10 e 11 de setembro, em Havana.

Lusa

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • O que muda com a saída do Procedimento por Défice Excessivo?
    2:10
  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.

  • Marcelo opta pelo silêncio sobre a eutanásia
    1:09

    Eutanásia

    Marcelo Rebelo de Sousa diz que só tomará uma posição sobre a eutanásia quando o diploma chegar a Belém. O chefe de Estado garante que vai ficar em silêncio, para não condicionar o debate e também "para ficar de mãos livres para decidir".