sicnot

Perfil

Mundo

Estado Islâmico sequestra jornalista em Mossul no Iraque

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) sequestrou um jornalista de televisão na cidade de Mossul, o seu bastião no norte do Iraque, informou hoje o Sindicato dos Jornalistas iraquiano,

O diretor do Sindicato, Sufian al Mashhadani, explicou à agência espanhola Efe que os extremistas cercaram durante a noite a casa do repórter Yahia al Jatib, situada no bairro de Al Wehda, no sul de Mossul, antes de o sequestrarem.

Segundo referiu, vários extremistas estrangeiros invadiram a casa de Al Jatib, de 28 anos, que foi algemado e a quem vendaram os olhos.

Os radicais roubaram o computador e o telemóvel do jornalista, que trabalhou para a estação de televisão Al Mausiliya, onde apresentou um programa de desporto durante três anos. Posteriormente, Al Jatib trabalhou para o canal Nainawa al Gad, que pertence a Azil al Nuyaifi, governador da província de Niníve, da qual Mossul é capital.

No passado dia 05 de agosto, elementos do grupo extremista fuzilaram três estudantes de jornalismo da Universidade de Mossul pela divulgação de fotografias na Internet e por "colaborarem" com meios de comunicação estrangeiros.

Para além do jornalista agora detido, o grupo radical mantém como reféns oito informadores iraquianos.

Desde que o EI ocupou Mossul, em 10 de junho do ano passado, assassinou centenas de pessoas por se oporem à sua ideologia extremista, entre as quais, ativistas de direitos humanos, médicos, jornalistas, militares e polícias.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão