sicnot

Perfil

Mundo

Aeronave desaparecida contatou torre de controlo 10 minutos antes da hora de aterragem

O avião indonésio com 54 pessoas a bordo que hoje perdeu o contacto durante o voo em Papua contactou a torre de controlo de Oksibil 10 minutos antes da hora prevista para aterrar, disse um responsável da companhia aérea.

EPA

Segundo o diretor de operações da Trigana Air, Beni Sumaryanto, o avião contactou a torre de controlo de Oksibil (província de Papua) a pedir para descer e a companhia enviou uma aeronave para o local para procurar o avião.

O ATR 42 da Trigana Air perdeu o contacto um pouco antes das 15:00 locais (06:00 TMG e 07:00 em Lisboa), depois de descolar do aeroporto regional de Sentani, que serve a localidade de Jayapura, na província de Papua (sudeste da Indonésia), noticiou a agência de socorro e resgate, numa mensagem na rede social Twitter.

"O tempo estava muito mau e como não conseguia encontrá-lo a aeronave regressou a Sentani", referiu Beni Sumaryanto.

"Oksibil é uma área montanhosa onde as condições climatéricas são muito imprevisíveis. De repente, podem surgir nevoeiro, escuridão e ventos fortes sem estarem previstos", acrescentou.

Segundo o diretor de operações da Trigana Air, suspeita-se de que o incidente se terá devido "a condições climatéricas adversas e não a excesso de lotação, já que o avião podia levar 50 passageiros".

O avião transportava 44 adultos, cinco crianças e cinco membros da tripulação, num voo que deveria durar 45 minutos e com aterragem prevista em Oksibil para pouco depois das 15:00 locais. A aeronave deixou Jayapura cerca de meia hora antes de ser dada como desaparecida.

O gabinete do ministro dos Transportes já confirmou à France-Presse a perda de contacto com o avião: "Não temos a certeza do que aconteceu ao avião e estamos em contacto com as autoridades locais. [...] O tempo costuma ser muito mau naquela zona, com muitas nuvens. A área é montanhosa", disse um porta-voz.

A Trigana Air é uma pequena companhia criada em 1991, que opera serviços domésticos para perto de 40 destinos na Indonésia.

Pequenas aeronaves são usadas com frequência para transportar pessoas para a zona montanhosa de Papua e o mau tempo já provocou vários acidentes nos últimos anos.

Lusa

  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lajes
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes.

  • Óscar do turismo para empresa que gere património de Sintra
    1:51

    Cultura

    A Parques de Sintra ganhou, pelo quarto ano consecutivo, os World Travel Awards na categoria de "Melhor Empresa de Conservação do Mundo". A empresa portuguesa, que gere monumentos, parques e jardins situados na zona da Paisagem Cultural de Sintra e em Queluz, voltou a ser a única nomeada europeia na categoria, e foi a vencedora entre candidatos de todo o mundo.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.