sicnot

Perfil

Mundo

Protestos contra o Governo de Dilma em 190 cidades dentro e fora do Brasil

Protestos convocados pela rede social Facebook saem hoje à rua em 190 cidades, dentro e fora do Brasil, incluindo Porto e Lisboa, tendo como denominador comum as críticas à Presidente brasileira Dilma Rousseff e o seu governo.

© Ueslei Marcelino / Reuters

As manifestações no Porto e em Lisboa estão previstas para as 16:00 horas, em frente ao Consulado do Brasil e na praça Luís de Camões, respetivamente.

Entre as cidades brasileiras com protestos marcados estão Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Salvador (na Baía), Belo Horizonte, Curitiba e outras capitais de todas as regiões do país.

No exterior, há concentrações previstas em Bariloche (Argentina), em Dublin (Irlanda), em Londres (Inglaterra), em Miami, Nova Iorque, Seattle e Washington (Estados Unidos), em Milão (Itália), em Sydney (Austrália) e em Toronto (Canadá).

Os protestos irão questionar a atual situação económica brasileira e pedir a impugnação do mandato de Dilma Rousseff, segundo os organizadores.

Os principais movimentos líderes da manifestação são o "Vem Prá Rua", "Movimento Brasil Livre" e "Revoltados Online", todos de oposição ao Governo atual do país.

Será a terceira vez este ano que os protestos contra a Presidência de Dilma Rousseff saem à rua.

Desta vez, o principal partido de oposição, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB, de Aécio Neves), convocou os militantes para o protesto em publicidade emitida na televisão.

Lusa

  • A Verdade sobre a Mentira
    35:13
  • Elemento dos Super Dragões com medida de coação mais gravosa
    1:37

    Desporto

    Os seis arguidos da Operação Jogo Duplo, que investiga crimes de corrupção e viciação de resultados na II Liga de futebol, saíram em liberdade. A medida de coação mais gravosa é para um membro da claque Super Dragões, que terá de pagar uma caução de 5 mil euros.

  • "A Venezuela sofreu um Madurazo"
    0:32
  • "Leiam os meus lábios. Não!"
    0:12

    Mundo

    Vladimir Putin participou esta quinta-feira numa conferência, no Ártico. Questionado sobre se a Rússia tinha interferido nas últimas eleições dos Estados Unidos da América, o Presidente voltou a negar qualquer interferência, com uma frase que pensava pertencer a Ronald Reagan, mas que na verdade foi proferida por George Bush.

  • A provocação de Juncker a Trump
    0:40

    Mundo

    Jean-Claude Juncker lançou esta quinta-feira uma provocação a Donald Trump. No último dia do congresso do PPE, o presidente da Comissão Europeia disse que, se Trump incentivar outros países a sair da União Europeia, ele próprio vai apoiar a independência do Ohio e do Texas