sicnot

Perfil

Mundo

Republicano Donald Trump quer deportar todos os imigrantes indocumentados

O pré-candidato à presidência dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, afirmou hoje que, caso ganhe as eleições em 2016, deportará todos os imigrantes indocumentados.

Charles Krupa

Trump fez estas declarações numa entrevista ao canal televisivo NBC, acrescentando que rescindirá as ordens do atual Presidente, Barack Obama, que impedem a expulsão dos jovens indocumentados que chegam ao país, assim como os pais de cidadãos norte-americanos ou filhos com estatuto legal.

"Manteremos as famílias unidas, mas têm que se ir embora", sublinhou o magnata do imobiliário, numa entrevista gravada no seu avião particular, durante uma visita, este fim de semana, à feira Estadual de Iowa.

"Trabalharemos com eles. Tem de ir-se embora. Ou temos um país ou não temos um país", disse o multimilionário.

"Temos -- disse -- que criar novos padrões" para os imigrantes que chegam aos Estados Unidos, onde se calcula que vivam mais de 11 milhões de indocumentados.

Depois da entrevista, Trump publicou na sua página de candidatura na Internet o programa da sua reforma migratória, no qual sublinha que "uma Nação sem fronteiras não é uma Nação" e defende a construção de um muro na fronteira com o México.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.