sicnot

Perfil

Mundo

Suspensas as buscas por destroços do MH370 na ilha da Reunião

As autoridades francesas suspenderam hoje na ilha da Reunião as buscas por destroços do Boeing-777 da Malaysia Airlines, desaparecido em março de 2014, mantendo um dispositivo de "vigilância" na ilha onde foi encontrado o único destroço do aparelho.

© Stringer France / Reuters

As buscas "não permitiram identificar qualquer elemento que possa pertencer a um avião", sendo que as operações serão suspensas, mantendo apenas "uma postura de vigilância atenta", anunciou hoje Dominique Sorain, representante do Estado francês na ilha, em comunicado citado pela agência France Presse (AFP).

Após a descoberta a 29 de julho, naquela ilha, de um fragmento de asa posteriormente identificado pela Malásia como pertencente ao Boeing-777 que efetuava o voo MH370, a França montou um dispositivo de busca marítima e terrestre no seu território ultramarino.

Durante dez dias, as buscas focaram-se numa zona marítima de 10.000 quilómetros quadrados, e patrulhas terrestres investigaram todo o litoral leste da ilha.

Na ausência de novas descobertas significativas, a França apenas continuará "vigilante", e apela aos "navegantes no mar e aos navegadores aéreos" para que comuniquem "todas as observações suspeitas".

O voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu a 08 de março de 2014 quando percorria a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, com 239 pessoas a bordo.

O pedaço de asa, descoberto na ilha da Reunião, no Oceano Índico, é até hoje o único destroço encontrado identificado como pertencente ao aparelho que se despenhou.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.