sicnot

Perfil

Mundo

Dois homens armados matam polícia perto do resort turístico de Sousse na Tunísia

Um polícia foi morto a tiro hoje por dois homens, que dispararam também sobre mais dois agentes perto do resort de Sousse, onde em junho um terrorista matou 38 turistas, anunciaram as autoridades da Tunísia.

© Zohra Bensemra / Reuters

"Atacantes desconhecidos dispararam sobre três polícias numa estrada. Um deles foi atingido e morreu no hospital", disse o secretário de Estado para a Segurança Nacional tunisino, Rafik Chelly, citado pela agência noticiosa francesa France Presse.

"Estamos a investigar, não podemos dizer mais", adiantou o responsável, não especificando se o ataque foi obra de terroristas.

O incidente ocorreu a sete quilómetros de Sousse, especificou, acrescentando que a polícia já lançou uma investigação para encontrar os homens que efetuaram os disparos, e que se faziam transportar numa mota.

Segundo a televisão, os polícias estavam na berma da estrada à espera de boleia para uma cidade no centro da Tunísia.

O ataque surge menos de dois meses depois de um terrorista armada ter morto 30 britânicos e mais oito turistas estrangeiros, entre os quais uma cidadã portuguesa, numa praia em Sousse, num ataque reivindicado pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico.

A Tunísia tem estado em estado de emergência desde esse ataque a 26 de junho, que se seguiu a outro no museu Bardo, em Tunes, em março, no qual morreram um polícia e 21 turistas estrangeiros.

O país enfrenta desde a revolução de 2011 um aumento da violência 'jihadista' que já matou dezenas de soldados e polícias, com a maior parte dos atentados a serem reivindicados pelo ramo do norte de África da Al-Qaida.

Lusa

  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41