sicnot

Perfil

Mundo

Resgatados dez imigrantes ilegais presos em vagão de comboio no Texas

As autoridades dos Estados Unidos resgataram na terça-feira dez imigrantes de nacionalidade mexicana que estavam presos num comboio de mercadorias que circulava no sul do Texas, informou o município de New Braunfels, em comunicado.

Segundo a investigação, os imigrantes foram introduzidos num comboio da Union Pacific quando este passou na localidade fronteiriça de Laredo, no Texas. (Arquivo)

Segundo a investigação, os imigrantes foram introduzidos num comboio da Union Pacific quando este passou na localidade fronteiriça de Laredo, no Texas. (Arquivo)

© Stoyan Nenov / Reuters

Segundo a investigação, os imigrantes foram introduzidos num comboio da Union Pacific quando este passou na localidade fronteiriça de Laredo, no Texas.

Os imigrantes pretendiam chegar à capital do Texas, Austin, mas ao passarem por New Braunfels, a pouco mais de 80 quilómetros do destino final, tiveram de pedir às autoridades que os resgatassem devido à desidratação que sofriam.

"A polícia de New Braunfels recebeu uma chamada de emergência de um homem, falante de espanhol, que afirmava estar preso num comboio. Este homem revelou que ele, assim como muitas outras pessoas, estavam dentro de um vagão e não podiam sair", segundo o comunicado.

As autoridades ordenaram que a Union Pacific parasse o comboio e a polícia, bombeiros e pessoal de emergência médica iniciaram a busca pelos dez homens, todos de nacionalidade mexicana e com idades compreendidas entre os 17 e os 38 anos.

Os dez foram transportados para centros médicos, cinco deles em estado crítico de desidratação.

Encontram-se todos sob custódia do Departamento de Segurança Nacional.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.