sicnot

Perfil

Mundo

Detidas 11 pessoas pelas explosões na cidade chinesa de Tianjin

As autoridades chinesas anunciaram a detenção de pelo menos 11 pessoas por suspeitas de envolvimento nas enormes explosões que sacudiram o porto da cidade de Tianjin, no dia 12, que causaram 139 mortos, segundo o mais recente balanço.

WU HONG

Entre os suspeitos figuram vários responsáveis da empresa Tianjin International Ruihai Logistics, incluindo o presidente, Yu Xuewei; o vice-presidente, Dong Shexuan, e três diretores-gerais adjuntos, indicou a agência oficial Xinhua, citando o Ministério da Segurança Pública.

As explosões que devastaram boa parte do porto de Tianjin ocorreram num terminal da companhia, na qual se têm centrado as investigações, já que a Ruihai violou inúmeras normas no âmbito das operações com produtos químicos que estiveram na origem da tragédia.

Além disso, a investigação aponta para a possibilidade de funcionários, de nível intermédio, do distrito portuário de Tianjin terem recebido subornos desta e de outras empresas para ignorar violações às normas de segurança.

O mais recente balanço oficial das explosões, divulgado na quarta-feira, é de 139 mortos, dos quais 84 bombeiros, oito polícias e 47 civis, sendo que continuam dadas como desaparecidas 34 pessoas.

Dos mais de 700 feridos no acidente, 527 continuam hospitalizados, 34 em estado grave.

A tragédia ocorreu num terminal de contentores do porto, onde se encontravam armazenadas 3.000 toneladas de produtos perigosos, em particular 700 toneladas de cianeto de sódio altamente tóxico.

O acidente suscitou receios de uma contaminação por químicos tóxicos do ar e da água de Tiajin, cidade com cerca de 15 milhões de habitantes.

Amostras de água recolhidas na zona da explosão chegaram a apresentar um nível de cianeto de sódio 356 vezes superior ao permitido.

Com Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.