sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Sul e EUA iniciam manobras de preparação para hipotético ataque biológico

A Coreia do Sul e os Estados Unidos iniciaram hoje um exercício anual de preparação para um hipotético ataque biológico da Coreia do Norte, que serve também para prevenir outras ameaças, como a recente propagação de coronavírus no país.

reuters

O exercício de caráter militar e civil de três dias, de nome "Able Response 15", servirá para "examinar e melhorar o sistema de resposta combinada dos países às ameaças biológicas naturais ou realizadas intencionalmente, que possam ter lugar na península da Coreia", indicou o Ministério da Defesa de Seul, em comunicado.

Estas manobras, que se realizam todos os anos desde 2011, implicam os departamentos de defesa de Seul e Washington, assim como o Ministério da Saúde da Coreia do Sul e outras instituições, segundo um comunicado da Defesa.

Apesar de o Ministério da Defesa de Seul não ter mencionado diretamente a Coreia do Norte, o "Able Response 15" foi concebido para tentar combater possíveis ataques biológicos do regime de Kim Jong-un, que se receia estar a desenvolver este tipo de armamento.

O exercício hoje iniciado também se centra no combate à propagação de vírus na Coreia do Sul, depois de, no passado mês de junho, a Síndrome Respiratória do Médio Oriente, o novo coronavírus, ter gerado alarme no país, onde causou 36 mortos.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.