sicnot

Perfil

Mundo

Palestina autorizada a hastear bandeira na sede das Nações Unidas

A ONU vai hoje autorizar a Palestina a hastear a sua bandeira na sede da instituição internacional em Nova Iorque, uma nova etapa da intensa campanha diplomática para o reconhecimento do Estado palestiniano.

© Ammar Awad / Reuters

A resolução será hoje submetida à votação na Assembleia-geral das Nações Unidas e a sua adoção será uma formalidade, segundo fontes diplomáticas junto da ONU.

Em declarações em Paris, o primeiro-ministro palestiniano, Rami Hamdallah, afirmou que a resolução será "um passo do caminho para a Palestina ser um membro pleno das Nações Unidas".

As únicas incertezas na votação passam pela extensão do apoio que vai reunir na Assembleia-geral e pela posição dos membros europeus, divididos sobre esta iniciativa. Os Estados Unidos e Israel opõem-se à resolução.

Quando a Palestina se tornou um "Estado observador não-membro" da ONU em 29 de novembro de 2012, a votação contou com 138 votos a favor, nove contra e 41 abstenções entre os 193 países-membros da Assembleia-geral.

Os palestinianos intensificaram os esforços há várias semanas para reunir "o maior número possível de votos", sublinhou o representante palestiniano junto da ONU, Riyad Mansour.

"Trata-se de uma medida simbólica", reconheceu Riyad Mansour, frisando, no entanto, que a iniciativa vai "reforçar os alicerces do Estado palestiniano" e vai oferecer aos palestinianos uma "luz de esperança" numa altura em que o processo de paz com Israel está num impasse total.

O Estado da Palestina já integra diversas agências da ONU e faz parte do Tribunal Penal Internacional, mas, apesar do reconhecimento de mais de 130 países, ainda não se tornou um membro pleno das Nações Unidas.

A resolução hoje em votação pede que as bandeiras dos Estados não-membros da ONU com estatuto de observador sejam "hasteadas na sede e nos escritórios da ONU junto das dos países membros". Só a Palestina e o Vaticano têm este estatuto.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.