sicnot

Perfil

Mundo

Sondagem indica que britânicos são cada vez mais a favor da saída da UE

Os britânicos estão cada vez mais a favor do "brexit" (termo utilizado para designar a saída da Grã-Bretanha da União Europeia), de acordo com uma nova sondagem publicada hoje no diário "The Times".

© Toby Melville / Reuters

A sondagem, feita pela empresa YouGov para aquele periódico, indica que 40% dos inquiridos prefere sair do bloco europeu, enquanto 38% defende a permanência.

O matutino salienta também que a última vez em que os defensores da saída da UE estiveram à frente nas sondagens foi em novembro de 2014.

No passado mês de junho, foi levada a cabo uma sondagem que apontou para uma vantagem de 10 pontos dos que preferem ficar na União Europeia.

"Contudo, a opinião pública parece ter mudado de ideias depois de um verão marcado pela crise dos refugiados", salienta o '"The Times'.

Esta sondagem foi publicada numa altura em que estão a decorrer debates internos nos partidos sobre as vantagens em o Reino Unido sair da UE.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, prometeu levar a cabo um referendo europeu antes do fim de 2017.

De acordo com o jornal, David Cameron não fixou ainda uma data para o referendo, mas alguns comentadores políticos afirmam que poderá realizar-se no outono do próximo ano.

Lusa

  • "Tudo o que o Benfica está a fazer é uma forma de coação"
    1:59
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    As queixas do Benfica contra a Federação Portuguesa de Futebol e a Liga foram tema de debate no Play-Off da SIC Notícias. Rodolfo Reis, Manuel Fernandes e Rui Santos acreditam que a posição está relacionada com o clássico Benfica-Porto do próximo sábado. Já João Alves considera que estes comunicados podem prejudicar o Benfica.

  • A primeira vez do Sr. Árbitro
    12:41
  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.