sicnot

Perfil

Mundo

Larvas que comem esferovite podem ser solução para eliminar este lixo

Larvas que comem esferovite poderão ser a solução para eliminar este lixo plástico tão durável e praticamente indestrutível.

Yu Yang / Stanford

Cientistas norte-americanos da Universidade de Stanford criaram em laboratório larvas da farinha alimentadas a esferovite (espuma de polistireno) desde o nascimento. Nenhuma desenvolveu qualquer doença, são tão saudáveis como as do grupo de controlo alimentadas a farelo.

Estas larvas conseguem digerir o plástico graças a uma bactéria que têm nos intestinos. Cada larva comeu entre 34 a 39 miligramas de esferovite por dia, convertendo cerca de metade em dióxido de carbono e outra metade em lixo não tóxico, revelaram no estudo publicado na revista Environmental Science and Technology.

Perceber como estas bactérias digerem este plástico praticamente indestrutível poderá ser a chave para a eliminação de milhões de toneladas deste material sintético que vão para o lixo todos os anos.

Uma outra investigação já apontava para a descoberta de uma outra larva capaz de digerir plático - o polietileno, outro plástico problemático para o ambiente.

  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Sondagem prevê vitória de Basílio em Sintra e de Bernardino em Loures
    3:03
  • Icebergue com 5.800 quilómetros quadrados está a deslocar-se na Antártida

    Mundo

    Um icebergue gigante está a deslocar-se na Antártida em direção ao mar de Weddell segundo as imagens de satélite reveladas. Trata-se do A68, um icebergue quatro vezes maior que a cidade de Londres. Com cerca de 5.800 quilómetros quadrados e triliões de toneladas, A68 é um dos maiores icebergues conhecidos.