sicnot

Perfil

Mundo

Mulher executada nos EUA apesar de apelo do papa

As autoridades da Georgia, Estados Unidos da América, executaram na terça-feira uma mulher condenada à pena capital pela morte do marido há 18 anos, após ter sido negado um pedido de clemência e de um apelo do papa.

Apesar do apelo do papa e dos protestos, a execução foi avante

Apesar do apelo do papa e dos protestos, a execução foi avante

© Tami Chappell / Reuters

Kelly Gissendaner, de 47 anos, morreu com uma injeção letal na prisão de Jackson, sudeste de Atlanta, tornando-se a primeira mulher a ser executada na Georgia desde 1945.

Os vários recursos de última hora apresentados pela defesa ao Tribunal Supremo da Georgia e ao Tribunal Supremo dos Estados Unidos para travar a execução foram rejeitados, bem como o pedido de clemência perante a Junta de Liberdade Condicional e Perdão, em que dois dos filhos de Gissendaner participaram.

  • Dirigentes do GD Ribeirão acusados de auxílio à emigração ilegal
    1:34

    Desporto

    Oito dirigentes do Grupo Desportivo de Ribeirão, um clube de Vila Nova de Famalicão que fechou as portas em 2015, foram acusados pelo Ministério Público.Em causa, estão suspeitas de auxílio à emigração ilegal ou falsificação de documentos, relacionadas com transferências de jogadores estrangeiros em situação ilegal.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16