sicnot

Perfil

Mundo

Obama telefonou a presidente dos Médicos Sem Fronteiras a pedir desculpa

O chefe de Estado norte-americano, Barack Obama, telefonou hoje à presidente dos Médicos Sem Fronteiras para pedir desculpa pelo ataque aéreo que atingiu um hospital no Afeganistão, provocando 22 mortos, entre os quais três crianças.

Pablo Martinez Monsivais

Barack Obama telefonou à presidente dos Médicos Sem Fronteiras, Joanne Liu, para "pedir desculpas e expressar os seus pêsames pelas pessoas mortas e feridas" quando um ataque aéreo norte-americano atingiu por engano um hospital daquela organização no Afeganistão, disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

A presidente dos Médicos Sem Fronteiras exigiu hoje a constituição de uma comissão de inquérito internacional ao bombardeamento norte-americano ao hospital de Kunduz, no norte do Afeganistão.

"Este não foi somente um ataque ao nosso hospital, foi um ataque à Convenção de Genebra. Isto não pode ser tolerado", disse Joanne Liu aos jornalistas, em Genebra.

Na terça-feira, o general norte-americano John Campbell, chefe da missão da NATO no Afeganistão, disse que o hospital foi bombardeado "por erro", num ataque decidido pela cadeia de comando norte-americana.

Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC