sicnot

Perfil

Mundo

Cinco palestinianos mortos e 30 feridos por Israel na Faixa de Gaza

As forças militares israelitas mataram hoje cinco palestinianos e feriram outros 30 em confrontos registados em Jerusalém Leste e na Faixa de Gaza, indicaram fontes médicas.

© Ibraheem Abu Mustafa / Reuter

Os confrontos surgiram depois de o líder do Hamas em Gaza, Ismail Haniyeh, ter considerado que a violência que está a registar-se na Faixa de Gaza e em Jerusalém Leste é uma nova Intifada, ou sublevação, apelando a maior contestação contra a ocupação israelita.

Segundo as fontes, três jovens de 20 anos, um de 19 e outro de 15 foram mortos quando os soldados de Israel responderam a tiro contra jovens palestinianos que lhes atiravam pedras do lado israelita da fronteira na Faixa de Gaza.

Um porta-voz militar israelita justificou a resposta pelo facto de cerca de duas centenas de jovens palestinianos se terem aproximado da vedação que divide os dois territórios e que começaram a atirar pedras e fazendo rolar pneus em chamas.

"Os soldados no local responderam a tiro contra os principais instigadores para evitar que progredissem e dispersar os protestos", afirmou o porta-voz, que confirmou terem sido disparados cinco tiros, mas sem adiantar pormenores.

Recentemente, Ismail Haniyeh apelou ao reforço da Intifada, defendendo ser esse o único caminho que levará os palestinianos à "libertação" e que Gaza vai cumprir o seu papel, para o que está mais do que preparada".

O aumento dos confrontos na Faixa de Gaza, Jerusalém e até em Israel tem levantado receios de que estará em curso uma terceira Intifada, depois das registadas em 1987 e em 2000.

O movimento islâmico Hamas detém o poder em Gaza, um enclave entre o Egito e Israel e separado da Cisjordânia (Margem Ocidental do Rio Jordão) e que está profundamente dividido com as forças do presidente palestiniano, Mahmud Abbas, que lidera a fação da Fatah.

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.