sicnot

Perfil

Mundo

Aumento de emissões de carbono ameaça cadeia alimentar marinha

O aumento das emissões de dióxido de carbono pode causar uma diminuição na cadeia alimentar marinha, do topo para a base, alertam cientistas num estudo publicado hoje na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

© David Gray / Reuters

Ecólogos marinhos da Universidade de Adelaide, na Austrália, reviram mais de 600 estudos que foram publicados sobre recifes de corais, 'florestas' de algas, mares abertos e águas tropicais e geladas.

A sua meta análise revela que a acidificação e o aquecimento dos oceanos poderão reduzir a diversidade e o número de espécies-chave.

"Esta 'simplificação' dos nossos oceanos terá profundas consequências para o nosso atual modo de vida, particularmente para as populações costeiras e para aqueles que dependem dos oceanos para fazer comércio e obter comida", afirmou, citado pela agência AFP, Ivan Nagelkerken, professor e coautor do estudo.

Muito poucos organismos marinhos serão, segundo o estudo, capazes de se ajustar ao aquecimento e à acidificação das águas, com exceção dos microrganismos, que deverão aumentar em número e em diversidade.

Contudo, o crescimento de microrganismos não se traduzirá, para os autores da análise, em mais zooplâncton e pequenos peixes, o que significará menos comida disponível para os peixes maiores que são capturados pela indústria pesqueira.

O estudo defende ainda que o aquecimento global afetará a população de ostras e mexilhões, assim como os recifes de corais.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.