sicnot

Perfil

Mundo

Austrália vai reforçar leis antiterrorismo para travar jovens 'jihadistas'

O Governo australiano anunciou hoje a intenção de reforçar as leis antiterrorismo para apertar a vigilância de presumíveis 'jihadistas' adolescentes e evitar o seu recrutamento por parte de organizações extremistas.

MARK BAKER

A proposta de lei, que vai ser apresentada no próximo mês no parlamento, prevê a redução da idade para aplicar as ordens de controlo de 16 para 14 anos, apesar de limitar a atuação da polícia nos interrogatórios de menores.

"Infelizmente, o alcance do Estado Islâmico (EI) e os substitutos e agentes do EI na Austrália está a estender-se entre os jovens", afirmou o procurador-geral, George Brandis, à cadeia televisiva ABC.

A proposta é a quinta tranche de um pacote de leis antiterroristas que inclui o alargamento de poderes das agências de segurança ou medidas contra os australianos que viajam para o estrangeiro para combater junto de movimentos radicais como o EI.

Outra das leis, que entra hoje em vigor, obriga as empresas de telecomunicações a reter dados dos seus clientes durante dois anos.

Entretanto, o governo do estado australiano de Nova Gales do Sul propõe conceder mais poderes aos tribunais para reterem informação sensível relacionada com os suspeitos de terrorismo, e a detenção dos mesmos sem acusação até 28 dias.

As leis vigentes limitam o tempo de detenção a quatro horas, a menos que seja emitida uma ordem judicial para estender esse período até aos oito dias.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.