sicnot

Perfil

Mundo

Israel reforça segurança nas principais cidades e em Jerusalém

Israel reforçou a segurança nas principais cidades israelitas. No centro do conflito israelo-árabe estão forças especiais do exército, 300 militares juntaram-se agora aos 4 mil polícias israelitas para garantir a segurança no país.

© Ronen Zvulun / Reuters

Depois do conselho de ministros israelita autorizar o bloqueio de várias zonas árabes, sobretudo junto à cidade de Jerusalém, ninguém sai nem entra dos bairros árabes sem autorização das forças de segurança que tentam travar a escalada da violência que, em menos de duas semanas, já matou mais de 40 pessoas: 32 palestinianos e 7 israelitas.

  • Palestiniano que tentou esfaquear mulher israelita abatido a tiro
    1:44

    Mundo

    Israel mobilizou 300 soldados para Jerusalém leste, começou a controlar os acessos à parte oriental da cidade e reforçou a segurança nos transportes públicos. As medidas são a resposta à vaga de ataques dos últimos dias. Só esta quarta-feira, foram neutralizadas duas tentativa de esfaqueamentos de israelitas.

  • Israel reforça patrulhamento policial nas principais zonas árabes
    1:50

    Mundo

    O exército israelita mobilizou centenas de militares para ajudar a polícia na patrulha das principais cidades e conter a escalada da violência que nos últimos 14 dias já matou perto de 40 pessoas, 30 palestinianos e sete israelitas. A mobilização destas companhias militares é a primeira de uma série de medidas aprovadas ontem pelo executivo israelita que tenta travar a vaga de atentados com recurso a armas brancas. A polícia já recebeu luz verde para selar áreas árabes de Jerusalém e revogar o estatuto de residência permanente a cidadãos palestinianos suspeitos de participação em atos de terrorismo, como adianta o correspondente da SIC em Israel, Henrique Cymerman.

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.