sicnot

Perfil

Mundo

Primeiros filhos "são mais espertos" que os seguintes

Os primeiros filhos são normalmente mais espertos que os seguintes, sugere um estudo da Universidade de Leipzig. A explicação, sustenta, não é a biologia, mas sim a educação.

ap

São essencialmente dois os fatores que sustentam a investigação:

- Os filhos mais velhos normalmente ensinam os mais novos;

- Os mais velhos têm mais atenção dos pais enquanto são filhos únicos.

"Enquanto que o primeiro tem a atenção parental plena, pelo menos durante alguns meses ou anos, os seguintes têm de partilhá-la desde o início. Outro fator possível é descrito como a 'hipótese da tutoria': os mais velhos ensinam os mais novos e explicam-lhes como as coisas funcionam", esclarece Julie Rohrer, co-autora da investigação, que se baseia na análise de três estudos, nos quais estiveram envolvidas mais de 20 mil pessoas.

"Ensinar outras pessoas requer exigências cognitivas elevadas - as crianças têm de se relembrar dos seus próprios conhecimentos, estruturá-los e pensar numa boa forma de o explicar, o que pode significar numa melhoria da inteligência para alguns", acrescenta.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC