sicnot

Perfil

Mundo

Saudita decapitado, 137ª execução no reino desde o início de 2015

Um saudita condenado à morte sob a acusação de assassínio foi hoje decapitado com espada na região de Riade, elevando para 137 o número de pessoas executadas em 2015 na Arábia Saudita.

Um comunicado do ministério do Interior publicado pela agência oficial SPA indica que Mohamed Ben Turki al-Qahtani foi considerado culpado pela morte do seu compatriota Khaled Ben Fahd al-Qahtani, atingido a tiro na sequência de um diferendo.

Uma estimativa da agência noticiosa AFP, baseada nos comunicados oficiais, indica que a decapitação hoje registada foi a 137.ª concretizada no reino desde o início de 2015.

Este balanço ultrapassa largamente o total de execuções durante todo o ano de 2014, quando 87 sauditas e estrangeiros foram executados.

Morte, violação, assalto à mão amada, apostasia e tráfico de droga são passíveis com a pena capital neste país regido por uma rigorosa versão da 'charia', a lei islâmica.

As autoridades sauditas invocam a dissuasão como argumento decisivo para justificar a pena de morte.

A Amnistia Internacional (AI) refere que a Arábia Saudita se encontra entre os países que procedem a um maior número de execuções, e onde se incluem China, Estados Unidos, Irão e Iraque.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.