sicnot

Perfil

Mundo

Saudita decapitado, 137ª execução no reino desde o início de 2015

Um saudita condenado à morte sob a acusação de assassínio foi hoje decapitado com espada na região de Riade, elevando para 137 o número de pessoas executadas em 2015 na Arábia Saudita.

Um comunicado do ministério do Interior publicado pela agência oficial SPA indica que Mohamed Ben Turki al-Qahtani foi considerado culpado pela morte do seu compatriota Khaled Ben Fahd al-Qahtani, atingido a tiro na sequência de um diferendo.

Uma estimativa da agência noticiosa AFP, baseada nos comunicados oficiais, indica que a decapitação hoje registada foi a 137.ª concretizada no reino desde o início de 2015.

Este balanço ultrapassa largamente o total de execuções durante todo o ano de 2014, quando 87 sauditas e estrangeiros foram executados.

Morte, violação, assalto à mão amada, apostasia e tráfico de droga são passíveis com a pena capital neste país regido por uma rigorosa versão da 'charia', a lei islâmica.

As autoridades sauditas invocam a dissuasão como argumento decisivo para justificar a pena de morte.

A Amnistia Internacional (AI) refere que a Arábia Saudita se encontra entre os países que procedem a um maior número de execuções, e onde se incluem China, Estados Unidos, Irão e Iraque.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".