sicnot

Perfil

Mundo

Obama vetou orçamento da Defesa que exige relatório sobre Base das Lajes

O Presidente dos Estados Unidos vetou esta quinta-feira a lei de Orçamento das Forças Armadas que exige a elaboração de um relatório sobre a Base das Lajes.

© Kevin Lamarque / Reuters

Numa mensagem aos jornalistas depois do veto, Barack Obama disse que o documento, "infelizmente, falha em três áreas fundamentais", explicando: "Primeiro, mantém uma situação que é inadequada para financiarmos os nossos militares de uma forma estável".

Depois, disse o Presidente dos EUA, o Orçamento não permite que as forças militares se modernizem e sejam mais eficientes.

"O último ponto é que esta legislação nos impede de fechar Guantanamo", disse Obama, referindo-se à porção do Orçamento que proíbe o uso fundos para transferir prisioneiros desta prisão até ao final do próximo ano.

No limite, isto significa que Obama falharia uma das suas grandes promessas eleitorais em 2008: o fecho desta prisão que acolheu suspeitos de terrorismo após os atentados de 11 de setembro de 2001.

O Presidente explicou que a prisão é "contraproducente aos esforços para derrotar o terrorismo em todo o mundo" e "um dos principais mecanismos para os jihadistas recrutarem."

"É tempo de a fecharmos", anunciou.

Obama concluiu a comunicação dizendo que "a mensagem para eles [membros da Câmara dos Representantes e Senado] é simples: vamos fazer isto bem."

Este é também o Orçamento que exige que o departamento da Defesa produza até 01 de março de 2016 um relatório sobre as valências da base das Lajes, incluindo sobre a sua capacidade de receber um centro de informações.

"Nenhum montante deve ser utilizado na construção do Centro de Análise Conjunta de Informações, na Base Aérea de Croughton, no Reino Unido, conforme secção 2301(b), até a Secretaria de Defesa certificar os comités de defesa da Câmara que determinou, com base numa análise dos requisitos operacionais, que esta localização permanece a localização ótima", lê-se no Orçamento.

O documento diz ainda que o relatório deve incluir uma explicação para os fundamentos da decisão, bem como uma avaliação das capacidades das Lajes para acolher treinos de pilotos de caça e a presença rotativa de forças navais.

A Câmara dos Representantes está a investigar a manipulação de estudos que justificam a construção deste centro de informações em Inglaterra.

Em junho, a Lusa noticiou uma série de iniciativas legislativas da Câmara dos Representantes que suspendem a construção deste complexo no Reino Unido até ser provado que a Base das Lajes não pode cumprir essa função.

O novo complexo está planeado para a base de Croughton, em Inglaterra, e ao reunir várias agências e organismos dos serviços de informações será o maior deste género fora do território norte-americano.

A sua construção está orçamentada em 317 milhões de dólares (cerca de 281 milhões de euros).

Lusa

  • Primeiro-ministro admite que retatório sobre Tancos possa ser "fabricado"
    2:06

    País

    O primeiro-ministro garante que o relatório divulgado pelo Expresso sobre o desaparecimento de armas em Tancos não é de nenhum organismo oficial e admite até que possa ser fabricado. Costa critica ainda o líder do PSD por ter comentado uma notícia que não confirmou. As Forças Armadas também negaram a existência de qualquer relatório sobre Tancos que o jornal reafirma existir e ser verdadeiro.

  • Maratona da democracia em Barcelona
    1:18

    Mundo

    Na Catalunha, milhares de pessoas alimentam o braço de ferro com Madrid. Em Barcelona decorre a maratona pela democracia, na Praça da Universidade. A iniciativa repete-se noutros 300 municípios da região.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.