sicnot

Perfil

Mundo

Furacão "Patrícia" desce para categoria 4 no avanço pelo México

O furacão "Patrícia" desceu para a categoria 4 na escala Saffir-Simpson, depois de ter tocado terra ainda com nível 5, o mais elevado, com as autoridades ainda alerta para os potenciais efeitos do fenómeno, informou o Serviço Meteorológico Nacional.

Ulises Ruiz Basurto/ EPA

Pelas 22:15 de sexta-feira (04:15 de hoje em Lisboa), o "Patrícia" movia-se sobre terra, afetando as populações de Talpa de Allende, Ayutla, Gallinero, Atengo e Mixtlán, do estado de Jalisco, informou o Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

"Prevê-se que continue a ser um furacão intenso durante o resto da noite, provocando chuvas intensas a torrenciais, violentas rajadas de vento e ondulação elevada nos estados do Pacífico central", advertiu o organismo.

O furacão encontra-se a 30 quilómetros de Talpa de Allende e a 75 quilómetros de Puerto Vallarta, e avança na direção nor-noroeste a 31 quilómetros por hora.

O "Patrícia" gera agora ventos de 215 quilómetros por hora e rajadas de 260, indicou o SMN.

As previsões indicam que o furacão vai passar a tempestade tropical pelas 07:00 de sábado (13:00 em Lisboa), localizando-se, nessa altura, a 50 quilómetros de Valparaíso, com ventos de 110 quilómetros por hora e rajadas de 140.

O "Patrícia", um furacão considerado "extremamente perigoso", tocou terra cerca das 18:00 locais de sexta-feira (00:00 em Lisboa), no estado de Jalisco.

Num comunicado ao país, o Presidente mexicano Enrique Peña Nieto salientou o facto de o "Patrícia" não estar a ser tão devastador quanto era esperado: "As primeiras informações confirmam que os danos estão a ser menores que os esperados para um furacão desta magnitude".

Lusa

  • México assiste a primeiros efeitos do furacão
    1:42

    Mundo

    Os primeiros efeitos da tempestade no México já se fazem sentir com chuvas e ventos fortes e ondas superiores a 10 metros. O furacão "Patrícia" é descrito como "potencialmente catastrófico" e há previsões de que possa ser o mais grave de sempre da história.

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC