sicnot

Perfil

Mundo

Argentina vai eleger novo Presidente em segunda volta

A Argentina vai escolher, a 22 de novembro, numa inédita segunda volta, o seu novo Presidente, entre o 'kirchnerista' Daniel Scioli e o conservador Mauricio Macri, já que nenhum candidato obteve os votos suficientes nas eleições de domingo.

© Marcos Brindicci / Reuters

Quando estavam apurados mais de dois terços dos votos, Mauricio Macri liderava a contagem, com 36%, contra 35% de Daniel Scioli.

No entanto, estavam ainda por contabilizar os boletins do 'reduto' do candidato 'kirchnerista', a província de Buenos Aires.

Sergio Massa era o terceiro entre os seis aspirantes à presidência argentina, com cerca de 21% dos votos.

Ao abrigo da lei argentina, para chegar à Casa Rosada à primeira volta, um candidato tem que obter 45% dos votos ou 40% com dez pontos de vantagem sobre o segundo mais votado.

Os primeiros resultados começaram a ser difundidos apenas seis horas depois do encerramento das urnas e quando estavam apurados os votos em aproximadamente dois terços das mesas.

Com estes números, nenhum candidato vai conseguir consagrar-se Presidente, pelo que a Argentina vai realizar, pela primeira vez, uma segunda volta.

O mecanismo de duas voltas nas eleições presidenciais foi introduzido em 1973, mas nunca o país sul-americano viu uma "corrida" percorrer todo o caminho até culminar numa segunda ronda.

O único antecedente que quase levou a uma segunda volta ocorreu em 2003, entre dois peronistas: o ex-presidente Carlos Menem e Néstor Kirchner ficaram taco-a-taco com 24,45% e 22,24%, respetivamente, nas presidenciais. Contudo, Menem desistiu e Kirchner alcançou a presidência.

Lusa

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.