sicnot

Perfil

Mundo

Forças armadas venezuelanas acusam EUA de estarem a preparar uma intervenção

O Estado-Maior das Forças Armadas venezuelanas acusou hoje os Estados Unidos de estarem a preparar as condições para uma intervenção no país, usando como protesto uma "possível situação humanitária".

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

A acusação foi feita através dum comunicado lido pelo ministro da Defesa, Vladimir Padrino López, numa alocução ao país transmitida pelo canal estatal Venezuelana de Televisão, desde o palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, durante a qual se fez acompanhar pelo alto comando militar do país.

"O império norte-americano, com o subterfúgio da defesa dos Direitos Humanos e da liberdade, pretende, uma vez mais, criar as condições necessárias para intervir (uma intervenção) no nosso país, usando como pretexto uma possível situação humanitária, produto do suposto colapso económico", disse.

O comunicado do alto comando militar venezuelano tem lugar depois do John Kelly, chefe do Comando Sul, dos EUA, em entrevista à estação norte-americana de televisão CNN, disse passar "40 segundos ao dia pensando na Venezuela (...) rezando pelo seu povo que está a sofrer terrivelmente".

Segundo John Kelly, a economia venezuelana "está literalmente no ponto de implosão", com "uma inflação de 200% este ano" e em que "os produtos básicos, as fraldas, o papel higiénico, os alimentos, são escassos ou não existem".

No entender do oficial norte-americano, "a corrupção e o narcotráfico da Colômbia para a Venezuela estão também a crescer. A solução da Venezuela está nas mãos do povo venezuelano".

Segundo o alto comando militar venezuelano, as declarações são "uma nova e fiável demonstração da ingerência imperialista, ao emitir opiniões capciosas sobre a situação política, económica e social" da Venezuela.

A Venezuela tem agendadas eleições gerais em dezembro deste ano.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.