sicnot

Perfil

Mundo

Braço da Al-Qaeda leva a cabo atentado contra hotel na capital da Somália

O número de mortos num duplo atentado do grupo jihadista somali Al Shabab perpetrado contra o hotel Sahafi em Mogadíscio, na Somália, subiu para 18, informaram hoje fontes da segurança citadas pela Efe.

© Feisal Omar / Reuters

"Temos a informação de que causou 12 mortos", disse Abdulrahid Dahir, da polícia, indicando que "os atacantes fizeram explodir um carro armadilhado para abrir passagem e poder entrar no hotel" Sahafi que, ao contrário de outras unidades internacionais de Mogadíscio tem um forte dispositivo de segurança.

Informações anteriores, divulgadas pelo canal de televisão Al-Jazeera -- com base em testemunhas -- e pela agência AFP, davam conta da ocorrência de duas explosões e de um tiroteio.

Os shebab, filiados na rede terrorista Al-Qaeda, reivindicaram a autoria do atentado contra o hotel Sahafi, popular nomeadamente entre membros do governo e empresários, indicando que estavam a lutar contra as forças de segurança.

"Os 'mujahedeen' [combatentes] tomaram o controlo do hotel Sahafi onde apostatas e cristãos invasores ficam", disse o porta-voz dos 'shebab', Abdulaziz Abu Musab, em comunicado.

"Os 'mujahedeen' estão a levar a cabo operações no interior do hotel depois da tomada", acrescentou.

As tropas da União Africana, que combatem ao lado das forças governamentais, afirmaram, contudo, ter assumido o controlo do edifício depois de derrotarem os insurgentes islamitas.

"As forças governamentais da Somália e a AMISOM [missão da União Africana na Somália] tomaram o controlo", disse a força da UA, composta por 22 mil homens, num breve comunicado, também citado pela agência AFP.

Os 'shebab', filiados na rede terrorista Al-Qaida, perpetraram no passado uma série de atentados contra hotéis de Mogadíscio.

Lusa

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.