sicnot

Perfil

Mundo

ONU alerta que nasce uma criança apátrida a cada dez minutos

A ONU alertou hoje para o problema das crianças apátridas, sublinhando que nasce um bebé a cada dez minutos nesta situação e que o problema ganha novas dimensões com o conflito na Síria e a crise migratória europeia.

reuters

Num relatório publicado hoje, a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) refere que 10 milhões de pessoas no mundo são consideradas apátridas, ou seja, não têm nacionalidade, e alerta que essa condição tem efeitos muito nocivos nas crianças, provocando-lhes sentimentos de discriminação, frustração e desesperança que podem prolongar-se até à idade adulta.

O relatório publicado hoje é o maior estudo da ACNUR sobre a questão dos menores apátridas e conta com 250 testemunhos de crianças, jovens, pais e tutores de diversos países e zonas do mundo.

Os menores contam que são tratados como estrangeiros nos países em que vivem. Muitos deles descrevem-se mesmo como "invisíveis", "extraterrestres", "a viver na sombra", "cães de rua" ou "sem valor". É frequente, ainda, serem-lhes negados direitos como a obtenção de diplomas académicos ou o acesso a diversos postos de trabalho.

A publicação deste documento coincide com o primeiro aniversário do lançamento da campanha "#IBelong# pela ACNUR, que tem como objetivo a abolição da condição de apátridas em 2014.

A ACNUR apela a todos os países que se juntem a esta campanha, considerando que este é um problema "relativamente fácil de solucionar e prevenir".

Entre as propostas da agência, está que uma criança receba a nacionalidade do país em que nasce caso não possa ter a dos seus pais.

Por outro lado, pede que em todos os países as mulheres possam passar a sua nacionalidade aos filhos, algo que não acontece numa dezena de casos.

A ACNUR pede ainda que sejam abolidas as leis e práticas que negam a pertença a um país a uma criança por causa da raça, etnia ou religião.

Para o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, não ter nacionalidade na infância pode originar problemas que "perseguirão" estas pessoas durante anos e as "condenarão" a uma vida de discriminação.

"Nenhuma criança deveria ser apátrida. Todas deveriam pertencer a um lugar", disse António Guterres, citado num comunicado da ACNUR.

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscosa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus parente e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.